quinta-feira, 30 de julho de 2015

ALERJ: A FARSA DA EXONERAÇÃO

Foi exonerado da ALERJ dia 17/07 e nomeado dia 18/07 na secretaria de governo no Palácio Guanabara.
MAGNO CEZAR MOTTA É TIO DA ESPOSA DO PAULO MELO,  DO EX PRESIDENTE DA ALERJ !!!

PICCIANI DISTRIBUINDO CARGOS


DOMINGOS BRAZÃO NO TRIBUNAL DE CONTAS : o povo brasileiro merece os governantes e os legisladores que tem.


SÉRGIO CABRAL NO MADISON SQUARE GARDEN

Longe da baixaria, perto de Bono Vox
Enquanto o seu PMDB pega fogo em terras tupiniquins, o ex-governador Sérgio Cabral, a milhares de quilômetros de distância, esquece os dissabores ao som do U2. O moço era um dos felizardos espectadores do show dos irlandeses, anteontem, no Madison Square Garden, em Nova York. Na foto, feita por um amigo da coluna, Cabral está no gargarejo, a poucos metros da banda — e, como qualquer fã, saca o celular para um registro. No braço, duas pulseirinhas indicam que ele tem acesso a áreas restritas. Os ingressos para o show estavam esgotados com bastante antecedência. E olha que os bilhetes para a Red Zone, a área mais exclusiva (e cara), custavam mais de US$ 2 mil.


Casais O político estava acompanhado da ex-primeira-dama Adriana Ancelmo. E do amigo George Sadala e mulher. Para quem não liga o nome à pessoa, Sadala estava no grupo de secretários e empresários ligados a Cabral que, em 2009, foi fotografado dançando, com guardanapos na cabeça, em Paris. Ficou conhecido no Rio como dono da GelPar, empresa que integrava o consórcio AgilizaRio, responsável pelo programa Rio Poupa Tempo. O consórcio recebeu, em quatro anos, R$ 56,8 milhões do estado.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Fornecedores da Petrobras sob suspeita financiaram campanha de 121 parlamentares em atividade

 
 Dos deputados e senadores da atual legislatura, pelo menos 121 receberam dinheiro oficialmente como doação de campanha de empresas investigadas pela operação Lava-Jato, da Polícia Federal. Um levantamento feito pelo site de VEJA nos registros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revela que 96 dos parlamentares da Câmara e 25 do Senado estão na lista de beneficiados por repasses feitos por fornecedores da Petrobras. As doações foram feitas como manda o figurino, e não há até o momento qualquer suspeita sobre quem recebeu o dinheiro.
As empresas doadoras passaram a ser investigadas pela Lava-Jato porque depositaram recursos para a M.O. Consultoria - empresa de fachada do doleiro Alberto Youssef - ou porque foram cobradas a fazer doações pelo doleiro Alberto Youssef e pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. O grupo de congressistas eleitos atualmente em atividade recebeu, ao todo, 29,7 milhões de reais de um conjunto de 18 grupos empresariais sob suspeita.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Criador de agência de favelas vê UPPs como estupro do Estado

O roteiro é sempre o mesmo. As ocupações são previamente anunciadas, as forças de seguranças do Estado do Rio de Janeiro entram nas favelas apregoando que retomaram "o direito de ir e vir" da população em 15 minutos (no máximo) sem qualquer resistência por parte do crime organizado. As bandeiras das corporações envolvidas são hasteadas, as crianças são colocadas dentro dos "caveirões" (os blindados da Polícia Militar) e posam, (supostamente) felizes, para fotos ao lado dos policiais.
Esse espetáculo pirotécnico, sem exageros, a exemplo do que ocorreu no último final de semana no complexo de favelas da Maré, na zona norte da capital fluminense, está longe de traduzir a nova realidade de quem mora em localidades que se mantiveram durantes décadas sob o domínio do tráfico de drogas, ou mesmo da milícia.

"Eu analiso como um estupro por parte do Estado", afirmou em entrevista ao Terra. "Você não tem nada do Estado, e de repente entra a força de segurança. Tudo na base do 'fiquem quietinhos senão vocês vão levar palmadas'. A população quer saneamento, saúde, educação e cultura. Não vemos de uma boa forma esse comportamento. Você acaba achatando a população sem um diálogo", complementou ele, que desde 1992 está inserido no contexto das favelas ao iniciar projetos sociais no morro do Borel, na zona norte e, posteriormente, fixar residência na comunidade Santa Marta, dois anos depois, na época que a favela em Botafogo, zona sul do Rio, vivia sob o domínio de Marcinho VP, rei do tráfico local na ocasião e protagonista do livro Abusado, do jornalista Caco Barcellos.
Fernandes foi retratado na publicação, inclusive, vivendo o personagem Kevin Vargas. Coincidentemente, hoje, o Santa Marta é a grande vitrine do Estado para a polícia das Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs). Foi lá que, em 2008, o governo de Sérgio Cabral instalou a primeira das 38 unidades em funcionamento hoje no Rio de Janeiro. Muito embora não seja contra a política de retomada de território, sobram críticas a cerca do "projeto feito para o capital".
"O Santa Marta é o exemplo de tudo o que está acontecendo", analisou. "Tem muita gente vendendo (as casas) porque ficou tudo muito caro. Essas contas abusivas da Light (companhia de luz) em várias favelas, não só no Santa Marta, mas em várias outras, é um projeto de poder para o capital entrar, as empresas entrarem e as populações serem excluídas. O (secretário estadual de Segurança Pública, José Mariano) Beltrame queria devolver o direito de ir e vir, eu vejo como algo razoável. Mas a população não está feliz. Você tem que pagar contas altíssimas. As festas que aconteciam, que agora têm que ser autorizadas. Mudou muito a rotina de quem vive nesses lugares e não existem opções."
LEIA A REPORTAGEM COMPLETA AQUI