er

er

sábado, 30 de julho de 2011

LUCIANO HUCK, EDUARDO PAES E O REBOQUE DA PREFEITURA ...TUDO A VER!

A REDE GLOBO FAZ O QUE BEM QUER COM A MÁQUINA PÚBLICA.
SÁBADO 30/07/2011 A REDE GLOBO LEVOU AO AR O PROGRAMA DO LUCIANO HUCK (LATA VELHA), ONDE ELE UTILIZA O "CENTRO DE OPERAÇÕES RIO" DA PREFEITURA, PARA PROCURAR UM CARRO VELHO PARA FAZER O PROGRAMA E UTILIZA-SE TAMBÉM DO REBOQUE DA PREFEITURA CONFORME O VÍDEO! OUTROS MOTORISTAS GOSTARIAM QUE O PROGRAMA LATA VELHA TAMBÉM REFORMASSE SEUS CARROS AO INVÉS DE SEREM REBOCADOS E MULTADOS PELA PREFEITURA!!! DESSA FORMA , ALÉM DE USAR A MÁQUINA ADMINISTRATIVA PÚBLICA INDEVIDAMENTE, BENEFICIA O INFRATOR. A PARTIR DE HOJE, TODOS OS CARROS ESTÃO AUTORIZADOS A CIRCULAREM DE FORMA INDEVIDA, PARA QUE POSSAM TAMBÉM SEREM ESCOLHIDOS PELO LUCIANO HUCK, PARA SEREM REFORMADOS.

PARECE COMEÇAR ASSIM O LANÇAMENTO DO APRESENTADOR DA GLOBO NA VIDA POLÍTICA, FERINDO O ART. 37 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. NO FIM DO PROGRAMA AINDA TEVE A CARA DE PAU DE AGRADECER AO PREFEITO DO RIO, EDUARDO PAES, POR DEIXAR-LO BRINCAR DE HERÓI POLÍTICO, COM A MÁQUINA PÚBLICA.

E AÍ MINISTÉRIO PÚBLICO?

POR E-MAIL



"Marcha por uma Copa do povo, fora Ricardo Teixeira!".

Os protestos que prometiam marcar o sorteio das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014 aconteceram em frente a Marina da Glória, local do evento, mas de forma bem mais comedida do que era esperado. Pequenas faixas contra Ricardo Teixeira e a Fifa são vistas na chegada dos convidados para a cerimônia, marcada para as 15h (horário de Brasília).

Entre as faixas a maioria questionava o gasto público nos estádios da Copa do Mundo e as denúncias de corrupção que marcaram a Fifa nos últimos meses. Nos dizeres estavam frases como "Ricardo Teixeira - Game Over" (fim de jogo), "Fifa means corruption" (Fifa significa corrupção) e "World Cup: who pays the debt?" (Copa do Mundo: quem paga a conta?).

Além dos protestos contra a entidade máxima do futebol e o presidente da CBF também puderam ser vistas faixas criticando o governador Sérgio Cabral, feito por integrantes do Corpo de Bombeiros e contra os militares.

Uma delas em dizeres pequenos afirmava: "Cabral, você me jogou bomba, me deu tiro, me prendeu e me humilhou. E até agora você não deu aumento para os militares. Até quando Cabral?".

Farra com dinheiro público banca festa da Fifa

A festa para o sorteio das eliminatórias da Copa do Mundo de 2014 ficou cara para a população do Rio de Janeiro. O evento custou R$ 30 milhões, inteiramente pagos pela Prefeitura do Rio, e pelo governo estadual.

Este valor seria suficiente para custear o salário de 17,6 mil policiais das UPP's (Unidades de Polícia Pacificadora). A Geo Eventos, empresa que organiza o sorteio e recebeu toda essa bolada, pertence à Rede Globo e sua parceira no Sul do Brasil, a RBS.
http://www.blogger.com/img/blank.gif
(veja infografia abaixo)




Fonte: ClicarAqui

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Ex-presidente da associação do morro dos Macacos é morto - É UM CASO ISOLADO!!!

Um ex-presidente da associação de moradores do Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio, foi morto a tiros na noite desta quinta-feira (28), perto da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da favela. As informações são da Secretaria estadual de Segurança. A polícia investiga as causas do crime.

Segundo a Secretaria de Segurança, por volta das 21h, a vítima - que não morava no morro - participava de um churrasco com amigos numa praça, num dos acessos à comunidade, próximo à Rua Armando de Albuquerque. Ele foi baleado dentro de um banheiro.

Policiais da UPP fizeram buscas na comunidade, mas não encontraram o autor dos disparos. De acordo com a Secretaria de Segurança, o caso foi encaminhado para a Divisão de Homicídios (DH). A Secretaria considerou o crime como um “caso isolado e fora do cotidiano da UPP".

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Aqui tem tráfico, aqui tem "gatonet", aqui tem venda de gás, venda ilegal. Em relação a isso, nada mudou com a presença das unidades de pacificação.

Para um policial que prefere preservar a identidade, a UPP não é uma maravilha, mas sim uma realidade inversa.

- Aqui tem tráfico, aqui tem "gatonet", aqui tem venda de gás, venda ilegal. Em relação a isso, nada mudou com a presença das unidades de pacificação.

Os moradores confirmam a denúncia e dizem que mesmo com as UPPs a bandidagem e o tráfico de drogas continuam.

Segundo o coronel Robson Rodrigues, comandante das UPPs, a condição de trabalho dos policiais militares precisa melhorar e admite que o tráfico ainda é um inimigo a ser vencido.

O tráfico ainda existe, mas as UPPs tiveram a ousadia de entrar e atuar em áreas onde não havia nada e de acabar com a circulação de armas.

Para os policiais que vivem a rotina nos morros, apagar as marcas do crime organizado não é uma tarefa simples e denunciam: o objetivo da UPP é eliminar as armas e não acabar com o tráfico de drogas.

- Na verdade a gente veio pra fazer a segurança de traficante.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Assessor de Lindbergh Farias tem carro roubado em Santa Teresa

Um assessor do senador Lindbergh Farias (PT) foi assaltado, na noite de ontem, em Santa Teresa. Fausto Severo Trindade dirigia um Cerato quando foi abordado por bandidos, que levaram o veículo.

O assessor não sofreu nenhum ferimento. Lindbergh vinha no carro de trás, guiado por um motorista. Segundo policiais, os bandidos não teriam visto o senador.

O caso foi registrado na 9ªDP (Catete) e, poucas horas depois, o carro foi recuperado.

EXTRA

O jogo de esconde-esconde de Sérgio Cabral

Depois de se refugiar em compromissos no interior do estado, o governador do Rio chama os holofotes para as UPPs e para a área de saúde, alvos de denúncias que desgastam seu governo.

Uma das lições mais caras a todo político experiente é a que ensina a arte de sumir e aparecer. A agenda do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, é um bem acabado exemplo dessa arte. Nos dias que se seguiram às denúncias de irregularidades nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) e nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), Cabral, do PMDB, praticamente sumiu da capital, e quando apareceu evitou entrevistas. Privilegiou compromissos no interior do estado e em cidades onde sua aparição é sempre festejada por aliados. Nesta terça-feira, o governador chama os holofotes para agendas positivas justamente nas áreas de segurança e saúde, onde estão programas mais importantes e seus grandes telhados de vidro. Pela manhã, lança o projeto “Zico 10”, que implantará escolas de futebol nas favelas beneficiadas pelas UPPs. À tarde, lança o “TRE Cidadão, Justiça Eleitoral Itinerante”, também nas áreas onde foram implantadas UPPs. Para fechar o dia, inaugura a ampliação do Centro de Terapia Intensiva do Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.
VEJA

As UPPs de Cabral parecem 'cobertor curto'

Toda vez que o Governo do Estado Rio de Janeiro instala uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), o governador Sérgio Cabral manda ligar todos os holofotes e faz com que as trombetas soem em alto e bom som. Para todos, trata-se de medida de alto teor social - e é mesmo -, pois as comunidades beneficiadas passam a contar com outro tipo de vida, sem a presença do poder paralelo que existia no local, sempre comandado por traficantes de drogas. Sai o Estado paralelo e entra o Estado oficial. Muda, de uma hora para outra, a qualidade de vida dos moradores e a paz passa a reinar. A eficiência da política de segurança do Governo Sérgio Cabral é enaltecida em todo o País;

Acontece que alguns reparos necessitam ser feitos. Quando uma UPP está para ser instalada, o Governo do Estado anuncia a data com grande antecedência. Parece que manda um aviso aos traficantes e/ou milicianos que dominam a área: "Por favor, retirem-se porque estamos chegando com uma UPP nesta comunidade. Procurem outro lugar para se instalarem para manter seus negócios". É o que parece. Não há nenhuma notícia de que aqueles que até então dominam a área estejam antecipadamente sendo presos, pois são criminosos conhecidos. Eles simplesmente mudam de lugar. O que na realidade existe é uma grande jogava de mídia, divulgando-se apenas o lado positivo da chegada de uma UPP em alguma favela dominada por traficantes;

Para onde estão indo os bandidos? Certamente para locais onde ainda não foi implantada e política de segurança do Estado. Um dos pontos que imediatamente estão sendo ocupados pelos traficantes é justamente a Baixada Fluminense. O 'Jornal de Hoje', de Nova Iguaçu, relata que nada menos 18 pessoas foram roubadas em diferentes pontos daquele município por uma mesma quadrilha.Também em Nilópolis há relato de que no bairro de Chatuba, tão divulgado pelo cantor Dicró, já são vistos bandidos andando armados pelas ruas, e não é tarde da noite;

A continuar este tipo de ação, o Estado do Rio estará praticando a política do 'cobertor curto', cobrindo a cabeça - as favelas - e deixando de fora os pés - a Baixada Fluminense. Na Re3gião dos Lagos também estão sendo registrados diversos casos de assaltos que antes não aconteciam. Portanto, é hora de Sérgio Cabral começar a pensar numa outra forma de garantir segurança a toda população do Estado e não apenas se beneficiar politicamente de ações isoladas, que poderão lhe dar votos futuramente, mas que deixarão muitos cidadãos à mercê de bandidos.

Nilópolis - Rio de Janeiro

domingo, 24 de julho de 2011

Cabral tenta explicar o inexplicável

Cabral mente sobre UPPs e UPAs
REVISTA VEJA


sexta-feira, 22 de julho de 2011

AUTORIDADES SAEM ESCOLTADOS DA COMUNIDADE PACIFICADA

Durante a manhã desta sexta-feira, às 11h20, uma troca de tiros entre policiais e criminosos assustou autoridades que saíam de uma cerimônia de inauguração de um centro judiciário no Complexo do Alemão

A cerimônia acontecia no posto de comando da força de pacificação. No momento do confronto, que ocorreu numa avenida próxima, os ministros Nelson Jobim (Defesa) e Cezar Peluso (presidente do Supremo Tribunal Federal) deixavam o local escoltados por seguranças e PMs do 22º Batalhão de Bonsucesso.

O governador Sérgio Cabral (PMDB), o secretário de segurança José Mariano Beltrame e a chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, já tinham saído do local.

A troca de tiros aconteceu por volta das 11h20, quando policiais militares do Batalhão de Bonsucesso abordaram dois criminosos numa Fiat Fiorino roubada. Os assaltantes furaram a blitz e um dos PMs efetuou um disparo contra o pneu do veículo.

A dupla iniciou o tiroteio na avenida dos Democráticos, em Bonsucesso (zona norte). Um deles conseguiu fugir para o complexo do Alemão. O segundo criminoso foi preso e levado para a 21ª DP (Bonsucesso), onde o caso foi registrado.

Segundo a PM, a Fiat Fiorino tinha sido roubada momentos antes. Os bandidos estavam em um carro Palio Weekend com outros dois comparsas quando abordaram a Fiorino, que levava uma carga de mercadorias vendidas na internet, como laptops, celulares e perfumes importados.

O motorista da Fiorino contou que os bandidos disseram que queriam apenas a carga. Eles transferiram a maior parte da mercadoria para o Palio.

Logo depois, dois bandidos escaparam no Palio, levando o motorista como refém, e os outros dois saíram com a Fiorino, quando foram abordados pela PM.

O motorista refém foi abandonado mais tarde em outro ponto da cidade. "Foi um pavor, eu tive que me manter tranquilo ou demonstrar tranquilidade para eles não fazerem nada comigo. Eu transportava 53 volumes, entre pacotes e caixas. Só restaram 4 ou 5 caixas dentro da Fiorino", destacou a vítima.



É NESSA COMUNIDADE, que os governantes dizem ter conseguido acabar com o crime, e onde nossa presidenta disse que poder vir a se tornar um ponto turistico!!!

Cabral morreu para a vida pública!!!

O impacto das crises dos últimos dois meses acendeu um sinal de alerta entre os aliados do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB). Pesquisa de opinião realizada na segunda semana deste mês apontou que os índices de reprovação do governador dispararam após os embates com manifestantes grevistas do Corpo de Bombeiros e a exposição de suas relações pessoais com empresários. A reprovação ultrapassa o patamar de 20% - quase o triplo do índice registrado em seus melhores momentos.


Analistas políticos e aliados concordam que os dois episódios atingiram a imagem do governador, que era considerado muito popular e que foi reeleito com 66% dos votos em 2010. Em junho, Cabral chegou a perder apoio, inclusive, de parte dos eleitores que declararam ter votado nele no ano passado.

A avaliação de analistas é de que Cabral foi arrogante ao chamar de “vândalos” os bombeiros que invadiram o quartel-central da corporação para reivindicar melhores salários, no início de junho. Mais de 80% dos entrevistados acompanharam a crise e mais de 50% julgam que Cabral trata de maneira errada seus funcionários públicos em greve.

Embora as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) continuem sendo o principal trunfo do peemedebista, outras marcas do governo começaram a perder credibilidade entre os eleitores. Os sérios problemas na área de saúde e denúncias de irregularidades relacionadas à produção das Unidade de Pronto-Atendimento 24 Horas (UPAs) tornam o setor mais crítico na administração de Cabral.

Aliado fiel de Cabral, o presidente da Assembleia Legislativa do Rio, deputado Paulo Melo (PMDB), considerou a “coisa mais normal do mundo” o fato que a rejeição do governador tenha aumentado. “A política é pêndulo. Em determinados momentos, você está em alta e em outros está em baixa”, afirmou. “O Sérgio, para mim, é o melhor governador da história do Rio”.

Fonte: Agência Estado

Globo recebe R$ 30 milhões de governo e prefeitura do Rio para organizar festa da Fifa

A empresa foi contratada em regime de exclusividade pelo Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014 para produzir e captar patrocínios para a cerimônia. O sorteio acontecerá no dia 30 de julho, às 15h, na Marina da Glória (zona Sul do Rio), e será transmitido ao vivo para cerca de 200 países. Porém, a partir desta terça-feira, a Fifa promoverá uma série de atividades em uma espécie de "aquecimento" para o grande evento de sábado.

Vencedora da disputa promovida pelo COL, a Geo Eventos foi ao mercado à caça de patrocinadores para bancar a festa. Encontrou apenas dois: a prefeitura do Rio e o governo estadual. Cada um assinou um contrato de patrocínio, publicado nos diários oficiais do município e do Estado, no valor de R$ 15 milhões cada. A quantia teria sido acertada entre a Geo Eventos e as autoridades públicas, baseando-se, de acordo com a empresa das Organizações Globo, "em negociações e custos de mercado".

O valor pago a título de patrocínio pelos governos municipal e estadual servirão também para remunerar a Geo Eventos, que apresentou aos dois patrocinadores uma planilha de custos em que estava incluída a sua remuneração. Ou seja, a Fifa, que é a dona da festa, não investirá qualquer quantia no evento, que será feito pela Globo e pago integralmente com recursos públicos.

A Fifa e o governo do Rio foram procurados pelo UOL Esporte, mas não se pronunciaram sobre o assunto até a publicação desta reportagem. Já a prefeitura municipal afirmou, em nota, que o patrocínio é justificável, uma vez que "o sorteio das eliminatórias é o primeiro grande acontecimento da Copa do Mundo de 2014, com uma semana de eventos e a presença de cerca de 600 jornalistas de todo o mundo. Como o sorteio será transmitido pela mídia internacional, haverá maciça divulgação da cidade, atraindo mais turistas e investimentos".

De acordo com a Geo Eventos, a contrapartida que os executivos municipal e estadual receberão é a colocação de banners e materiais com a "marca Rio de Janeiro" no cenário da festa, "além de receber na cidade um evento com visibilidade mundial".

Já os 17 patrocinadores oficiais da Copa do Mundo, que pagam até R$ 150 milhões anuais à Fifa, têm o direito de usar qualquer cerimônia relacionada ao torneio para ações de marketing. Para isso, no entanto, os parceiros ficam à mercê dos desmandos da entidade máxima do futebol, que proíbe a divulgação de qualquer detalhe relacionado ao seu evento.

Nos bastidores, alguns patrocinadores reclamaram dessa postura adotada pela responsável pelo futebol mundial. As empresas entendem que, por terem desembolsado uma alta quantia por uma das cotas, elas deveriam poder adotar a estratégia de comunicação que lhes fosse conveniente, e não atender passivamente às ordens da Fifa. Pelo menos dois parceiros da entidade consultados pelo UOL Esporte confirmaram as dificuldades.

O sorteio das eliminatórias será o primeiro evento da Copa realizado em solo brasileiro. A cerimônia será conduzida por jogadores de diferentes gerações do futebol brasileiro, todos escolhidos e contratados pela Geo Eventos: Neymar, Cafu, Zico, Lucas, Zagallo, Fellipe Bastos, Lucas Piazón, Ronaldo, Adryan e Bebeto. A programação artística inclui uma homenagem a Tom Jobim, com a execução de "The Girl of Ipanema", versão em inglês do célebre sucesso de Tom e Vinícius de Moraes.

* Colaborou Thales Calipo

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Assaltantes fazem moradora refém em Santa Teresa

Uma mulher, não identificada, foi feita refém por três assaltantes que invadiram a casa dela, na Rua Almirante Alexandrino, em Santa Teresa, na noite desta quarta-feira. Policiais militares entraram no imóvel, libertaram a moradora e trocaram tiros com os bandidos, que conseguiram fugir.

A vítima mora com o marido, mas estava sozinha em casa quando os assaltantes chegaram. O imóvel onde vive o casal é vizinho ao Morro dos Prazeres, comunidade ocupada por uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Os PMs da UPP, que participaram da ação, e a moradora estão na 7ª DP (Santa Teresa), prestando depoimento.


O GLOBO

PQ A POPULAÇÃO DO RIO CONTINUA A MERCÊ DA SORTE?

Enquanto a dona de casa Daniele Conceição Bispo, 23, deu à luz na estação de trem de Campo Grande e depois teve de ir ao hospital de ônibus, pelo menos 79 ambulâncias do Samu e do Corpo de Bombeiros estão sem funcionar no Rio. Só no quartel de Guadalupe há 51 paradas.

À mercê da sorte

Na prática, isso significa que outras mulheres poderão reviver o drama de Daniele e o marido, Rafael Nascimento Araújo, 20. “Foram duas horas de desespero. Funcionários da SuperVia começaram a chamar o Samu às 12h40”, contou Rafael. “Ninguém veio. O parto do meu filho, Rafael Guilherme, só foi feito porque uma técnica de enfermagem ajudou. Depois, foi um sufoco para ir ao hospital. Um motorista de ônibus nos levou”, completou.

O DIA

OS PICCIANI$

Denúncias documentadas ( BLOG DO GAROTINHO)

Os irmãos Picciani se elegeram fraudando declaração ao TRE
http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=8433


Uma viagem fantástica aos milhões da família Picciani
http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=8427

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Cerca de 10 turistas foram assaltados em Hotel de Luxo no bairro de Santa Teresa

Santa Teresa terá policiamento reforçado ( ?)
O bairro de Santa Teresa terá uma Companhia Destacada de Policiamento, segundo informou, nesta segunda-feira, a Secretaria de Segurança Pública. A criação da companhia já estava prevista, mas foi confirmada, por meio de nota, após o assalto num hotel de luxo no bairro. Mas, a data da instalação ainda não definida.

A nova Companhia, que tem como objetivo patrulhar a região e ampliar o policiamento, vai funcionar no antigo Hospital Quarto Centenário, que foi cedido pela prefeitura ao governo do Estado.

O espaço também será usado como uma espécie de dormitório para os policiais que estejam trabalhando na capital, mas não moram na cidade.

O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, lamentou o assalto e informou que pediu ao comando da PM que reforce o policiamento em Santa Teresa.

A região do Centro foi pacificada no início de fevereiro, em uma megaoperação da Polícia Militar, quando nove morros foram ocupados. Cerca de 20 dias depois, Santa Teresa ganhava uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

CORREIODOBRASIL

OBS: Militares roubados – Entre as vítimas do assalto estão três oficiais envolvidos na organização dos Jogos Mundiais Militares, que são realizados na cidade. Um deles é um coronel. Três executivos da Nike, que estão no Rio para um evento, também tiveram seus pertences levados. A maior parte das vítimas decidiu não permanecer no Hotel Santa Teresa a partir de hoje.em hotel de luxo no bairro de Santa Teresa,

Os esquemas criminosos de Cabral e do secretário de Saúde Sergio Côrtes

TRIBUNA DA IMPRENSA - Os esquemas criminosos de Cabral e do secretário de Saúde, Sergio Côrtes, estão desmoronando. Agora, é a corrupção nas UPAs. Até a ideia de construí-las foi roubada por eles.

A internet não é brincadeira. As mensagens que circulam na web hoje fazem a alegria dos responsáveis pela pauta dos jornais e outros veículos de comunicação, indicando os caminhos que devem seguir para levantar importantes assuntos, especialmente os relacionados com corrupção administrativa.

Por exemplo: há três semanas circula na internet a seguinte mensagem, que nós arquivamos aqui no blog da Tribuna, para posterior aproveitamento: “Esses governos estão fazendo a alegria dos fabricantes de pré-moldados metálicos. De uns tempos pra cá, toda nova instalação do Estado e da Prefeitura do Rio de Janeiro – UPAs, UPPs, Clínicas da Família – é constituída de shelters prontos ou de montagens pré-fabricadas. Esses módulos são arrendados e o Poder Público paga um aluguel que não é nada barato! Quem comercializa esses shelters eu não sei, mas se procurar, por certo vai se encontrar irregularidades… E aguardem o próximo escândalo, o aluguel dos conteiners (Estado e Prefeitura) com a NHJ do Brasil, para UPAs e UP’s.”

Não demorou e os jornalistas foram mergulhar no assunto, para denunciar mais uma negociata desse surpreendente governo de Sergio Cabral. Um estudo comparativo feito pelo O Globo mostra que a utilização de contêineres ou módulos pré-moldados de aço para erguer as Unidades de Pronto-Atendimento 24h (UPAs) custa, em média, 25% mais caro que construir um hospital inteiro de alvenaria.

Apesar da estúpida diferença de custos, o uso das estruturas metálicas virou uma febre no Estado, desde que o governo inaugurou a primeira UPA na Maré, em 2007. Desde então, já foram instaladas mais 41 unidades com esse tipo de material. Outras secretarias, como as de Governo e Segurança, além de municípios do interior, da prefeitura da capital e da Guarda Municipal, passaram também a adotar os pré-moldados metálicos, criados há décadas pela genialidade do arquiteto João Filgueiras Lima (Lelé), que do governo nem recebe royalties pela concepção desse tipo de posto de saúde, que já existia quando Cabral e Cortes nem pensavam em saquear os cofres públicos.

E o que são essas UPAs? Nada mais do que factóides criados pelo inventiva e furtiva dupla de Sergios Malandros – o Cabral e seu cúmplice Côrtes, o secretário de Saúde mais corrupto de que se tem notícia na História desse Estado.

Em termos de marketing, foi uma ideia bestial, como dizem os portugueses. Ao invés de cumprirem a obrigação de recuperarem a rede hospitalar e os postos de saúde do Estado e da Prefeitura do Rio, Cabral, Côrtes e o prefeito Eduardo Paes se apropriaram dos projetos do famoso arquiteto e o aproveitaram no esquema das UPAs, que nada mais são do que postos de saúde que funcionam em regime 24 horas.

Enquanto os hospitais e postos de saúde convencionais funcionam cada vez mais precariamente, as UPAs serviram como uma espécie de gigantescos e reluzentes painéis publicitários, a exibir à população “a excelência” de seus governantes, garantindo a reeleição do governador e a continuidade de seu criminoso secretário de Saúde.

Os custos de instalação das UPAs já chamaram a atenção dos promotores da área de saúde do Ministério Público estadual, que investigam suspeitas de superfaturamento na compra das estruturas de aço. Nos tribunais de Contas do Estado (TCE) e do Município (TCM), tramitam processos nos quais os técnicos questionam os valores e os processos licitatórios de instalação das UPAs. Já se sabe que não vai dar em nada, mas é pelo menos um consolo para as pessoas de bem.

Os módulos de aço das UPAs têm um custo de R$ 2.385 por metro quadrado. O preço supera em 25% os R$ 1.900 que a prefeitura de São Carlos, em São Paulo, investe na construção do Hospital Escola Municipal. A unidade, que está parcialmente pronta, tem mais de 30 mil metros quadrados.

No custo total de R$ 58 milhões estão incluídas as despesas com paisagismo, instalações elétricas e hidráulicas, além de sistema de refrigeração. Ao contrário das UPAs de Cabral/Côrtes, a obra em São Paulo conta realmente com a assinatura do arquiteto João Filgueiras Lima (Lelé), também responsável pelos projetos dos hospitais da Rede Sarah Kubitschek.

Das 42 UPAs já inauguradas no estado, 22 foram feitas a partir de contêineres e 20 com módulos metálicos. Cada UPA de contêiner custou cerca de R$ 3 milhões. Para aquelas de maior porte (1.300 metros quadrados), o valor do metro quadrado foi R$ 2.300.

Para fazer a comparação com os custos das obras de alvenaria, os jornalistas levaram um engenheiro do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea-RJ) à UPA da Tijuca. O projeto de alvenaria para a unidade, já com sistemas elétricos e hidráulicos, jardinagem e sistema de ar-condicionado, poderia ser executado por até R$ 1.750 o metro quadrado. Assim, o valor pago pelo estado e pela prefeitura é 36% mais alto. No caso da prefeitura, as Clínicas da Família, feitas parte de alvenaria e parte de módulos metálicos, são ainda mais caras: R$ 3 mil o metro quadrado.

“A estrutura (da UPA de metal) é aparentemente simples, com um espaço para recepcionar os pacientes, consultórios e salas de laboratório. Em termos, mesmo considerando os custos com os encanamentos de água e gás e estrutura elétrica, o metro quadrado de uma unidade semelhante feita em alvenaria seria de R$ 1.170. Se incluirmos jardinagem e refrigeração, o valor poderia chegar a 1.460. A esse valor devemos acrescentar mais 20% do remuneração da construtora (num total R$ 1.750)” – explicou Abílio Borges, que trabalha como assessor da presidência do Crea.

O engenheiro do Crea utilizou como parâmetro de cálculo a tabela de Custo Unitário Básico da construção, definida pela Norma Técnica da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e que serve de referência para o Sindicato das Empresas de Construção do Rio (Sinduscon).

Numa comparação do quanto os projetos de alvenaria poderiam gerar de economia, os dados são ainda mais evidentes. Na tomada de preços feita pelo governo do estado em 2009, quando informou ao mercado a disponibilidade de comprar até 264 mil metros quadrados em módulos de aço, a despesa total, caso todos fossem adquiridos, seria de R$ 629 milhões. Com o metro quadrado a R$ 1.750 da alvenaria, o custo passaria para R$ 462 milhões, uma economia de R$ 167 milhões.

Como se vê, as informações que circularam na internet estavam rigorosamente corretas. Até o nome da empresa NHJ foi confirmado. É a Novo Horizonte Jacarepaguá, que não apenas vende, mas também aluga contêineres para a Secretaria de Saúde e outros órgãos do governo. Mas agora a negociata mudou de mãos e passou para a Metalúrgica Valença, do empresário Ronald de Carvalho, outro amigo do governador e do ex-deputado Jorge Picciani, e não se precisa dizer mais nada.

Nos esquemas de Cabral/Côrtes, está tudo desmoronando. Como caem por terra as duas principais alegações apresentadas pela Secretaria de Saúde para o uso das estruturas de ferro no lugar de obras de alvenaria: a mobilidade e a rapidez com que as unidades ficam prontas – em média, em 90 dias. Mas este é também o mesmo prazo, segundo o Crea, para erguer uma unidade semelhante feita de alvenaria.

E a pressa ao utilizar os módulos de aço nem sempre é uma variável que favorece os usuários do sistema de saúde. A UPA de Nilópolis, por exemplo, ficou pronta no fim do ano passado e, segundo moradores, até hoje continua sem uso.

Em meio à corrupção generalizada, a área da saúde no Estado é caótica. Agora mesmo, os servidores do Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, estão denunciando o total abandono daquela unidade, com até a possibilidade de fechamento. Mas tudo isso certamente só acontece porque em 2007 ainda não existia o salvador Código de Conduta Ética, recentemente criado pelo governador, para que ele próprio pudesse saber o que é certo ou errado na administração pública. Aonde é que nós vamos parar com esse tipo de governante?

É rir para não chorar!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Cabral baixou Código de Conduta Ética, mas está morando no apartamento de um empresário amigo.

Cabral, ao que parece, está necessitando de cuidados médicos especiais. Depois de toda a confusão das graves denúncias de envolvimento com empresários amigos, que o fizeram pedir desculpas à população e aprovar rapidamente um Código de Conduta Ética, para que pudesse saber o que é certo ou errado, agora ele separou da mulher e está morando na casa de um empresário amigo.

A assessoria de Cabral respondeu que o empresário generoso, Guilherme Paes, um dos diretores do banco de investimentos BTG Pactual e irmão do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), tem “zero negócios” com o governo do Estado.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

$$$CABRAL DESESPERADO E DESCONTROLADO$$$

Diante da crise política e de imagem ligada a denúncias de proximidade excessiva a empresários com interesses no Estado - que o atingiram em junho -, o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), mais que dobrou as verbas oficiais destinadas ao setor de publicidade e imprensa em 2011.
Em dois decretos publicados após as acusações, Cabral elevou de R$ 55,7 milhões para R$ 120,7 milhões a autorização para gastos com Serviços de Comunicação e Divulgação da Subsecretaria de Comunicação e Divulgação - elevação de 116,75%. Até ontem, foram empenhados R$ 75,6 milhões e liquidados R$ 67 milhões.O governo nega relação desse aumento com a crise.Na sexta-feira, o governo deu início a uma forte campanha publicitária nas TVs abertas. Na segunda-feira, um filme de 60 segundos foi exibido num intervalo do Jornal Nacional, da Rede Globo, um dos mais caros espaços publicitários da TV no País. Leia mais no Estadão

terça-feira, 12 de julho de 2011

MÁFIA DO REBOQUE - O PAÍS DA IMPUNIDADE POLÍTICA FINANCEIRA.

Vídeo mostra como atuava quadrilha que liberava veículos rebocados no Rio de Janeiro

video

É TANTO ESCÂNDALO, QUE A CADA DIA FICA MAIS FÁCIL, QUE UM POLÍTICO OU UM GESTOR "PÚBLICO" APAREÇA COM A MAIOR CARA DE PAU, PARA EXPLICAR AQUILO QUE NÃO TEM EXPLICAÇÃO. E AINDA, CRIARAM UMA ESTRATÉGIA DE COBRAR MAIS DINHEIRO, PARA JUSTIFICAREM O SERVIÇO QUE NÃO FOI FEITO, POR TER SIDO DESVIADA A VERBA.
NADA ACONTECE!

FRAUDES MILIONÁRIAS NA SAÚDE, EDUCAÇÃO, E SEGURANÇA PÚBLICA, E COM A CONIVÊNCIA DOS EXECUTIVOS, QUE SEMPRE DIZEM QUE NÃO SE RESPONSABILIZAM PELAS EMPRESAS, DIZEM QUE VÃO TROCAR ÀS EMPRESAS, COMO SE ISSO NÃO FOSSE OBRIGADO, E QUANDO ISSO ACONTECE: TROCAM-SE OS NOMES E OS LARANJAS, MAIS OS DONOS CONTINUAM OS MESMOS.
SERÁ QUE NADA VAI ACONTECER COM ESSES GOVERNANTES DO RIO? O GOVERNADOR JÁ CONFESSOU SUA CONDUTA ERRADA, ESTÁ CARACTERIZADA A IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. CARROS SÃO REBOCADOS E MULTADOS POR UMA QUADRILHA DE UMA EMPRESA CONTRATADA PELA PREFEITURA!!! E O DETRO COMO FICA NESSA HISTÓRIA? É O DETRO QUE APREENDE OS CARROS E OS DOCUMENTOS, COM O AUXÍLIO DA PM.
AS PESSOAS QUE TIVERAM SEUS CARROS APREENDIDOS, DEVERIAM ACIONAR O MINISTÉRIO PÚBLICO, POIS SEUS CARROS ESTÃO SENDO ROUBADOS, E NA MÃO GRANDE, POR INSTITUIÇÕES QUE DEVERIAM PROTEGÊ-LOS.
QUE PAÍS É ESSE?

TRE-RJ adia para quinta-feira julgamento de Carlo Busatto, Dionísio Lins e Domingos Brazão

A pedido do Ministério Público Eleitoral, o TRE-RJ adiou para a sessão da próxima quinta-feira, dia 14, as ações de Investigação Judicial impetradas contra os deputados estaduais Dionísio de Souza Lins e Domingos Inácio Brazão, e o prefeito do município de Itaguaí, Carlo Busatto Júnior, o Charlinho. Brazão e Lins são acusados de abuso de poder econômico, captação ilícita de voto e conduta vedada a agente público. Charlinho responde por abuso de poder econômico e político. O relator dos processos é o corregedor regional eleitoral, juiz Antonio Augusto Gaspar e a sessão plenária terá início às 16 horas.

Posto de Vistoria do Detran-Ceasa

Vejam a recente confusão no Posto de Vistoria do Detran-Ceasa, onde não existem Servidores Públicos, somente TERCEIRIZADOS que não sabem atender o público e criam dificuldades para gerar facilidades!!!

Dia 13/06/2011



http://sosdetran.blogspot.com/

domingo, 10 de julho de 2011

Pezão tenta explicar por que o Estado pagou R$ 470 mil pela desapropriação da casa da cunhada de sua mulher

“Eu só assinei”, diz Pezão

No dia 29 de janeiro de 2010, na condição de governador interino, Pezão assinou um decreto que beneficiou a família de sua mulher. Ele transformou uma casa de sua concunhada em local de utilidade pública e desapropriou o imóvel. O processo correu na Justiça em menos de seis meses, pois Pezão autorizou um pedido de urgência. Com a canetada do vice, o Estado pagou R$ 470 mil pelo imóvel, além das custas do processo. Casas semelhantes são oferecidas por R$ 300 mil no mercado local. O governo informa que quer transformar a propriedade em sede da Procuradoria do Estado na cidade. A pressa para o pagamento, porém, não se repetiu nas obras de adaptação do local. Mais de um ano depois do desembolso, a casa continua abandonada.

Quando Pezão assinou o decreto, o governador Sérgio Cabral estava em Londres, em visita oficial às obras para a Olimpíada. Cabral viajou no dia 29 de janeiro, segundo sua assessoria. Pezão assinou o decreto de número 42.269 assim que assumiu o cargo de governador. Uma das donas do imóvel era Ana Maria de Carvalho Horta Jardim, casada com Flavio Cautieiro Horta, irmão da mulher de Pezão, Maria Lúcia Horta. O cunhado do vice-governador atuou como advogado da família no processo de desapropriação.

REVISTA ÉPOCA

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Garotinho desafia deputados do PMDB a defenderem Cabral

Vídeo com o discurso de Garotinho, na tribuna da Câmara, onde denunciou a corrupção generalizada do governo Cabral, e no seu estilo sem meias palavras, fez um desafio aos deputados do PMDB – RJ. “Tudo o que estou dizendo eu provo. Desafio os deputados do PMDB a virem aqui, na terça-feira, me rebater, defender Cabral”.

Governador Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo já estão oficialmente divorciados

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Quem é o maior cara-de-pau do Brasil?

Na entrevista concedida durante a campanha eleitoral de 1996, candidato a prefeito do Rio pelo PSDB ( SÉRGIO CABRAL ) reage com indignação à pergunta sobre ligações suspeitas com empresários. E perde a paciência de vez quando é comparado ao ex-presidente Fernando Collor.

domingo, 3 de julho de 2011

CABRAL BICHO MAU!!!

Novo ato dos BOMBEIROS

Dia 5 de julho (terça-feira) concentração às 10h no Largo do Machado

Você SERVIDOR ESTADUAL junte-se aos bombeiros e lute por melhores salários!!!

sábado, 2 de julho de 2011

SERÁ QUE CABRAL ESTÁ BLINDADO?


Regis Fitchner, chefe da Casa Civil de Cabral, foi escalado para impedir que seja aberto inquérito na Procuradoria contra o governador, por improbidade administrativa.

Carlos Newton

Sem qualquer comentário, O Globo noticiou que o chefe da Casa Civil, Regis Fitchner, já iniciou as conversações com a Procuradoria do Estado, a pedido do governador, para criar um Código de Conduta. E até parece que o jornal levou a sério esse ardil criado por Sergio Cabral para tentar iludir mais uma vez a opinião pública.

Por detrás da notícia oficial, porém, estão subentendidas as verdadeiras intenções do governador. Como o chefe da Casa Civil é procurador do Estado, sua verdadeira pretensão não é criar nenhum ridículo e extemporâneo Código de Conduta. O que ele tenta nos contatos com os procuradores, na realidade, é abafar o incêndio e convencer a Procuradoria do Estado de que nada justifica que seja aberto um inquérito para investigar as denúncias veiculadas pela imprensa a respeito do enriquecimento ilícito de Cabral e suas ligações íntimas com empresários de grande envergadura.

A abertura do inquérito seria o primeiro passo para uma ação civil pública por atos de improbidade administrativa, a ser dirigida contra o governador e os beneficiários diretos dos seus favores ilícitos (empresários Arthur Cesar e Fernando Cavendish, o secretário de Saúde Sergio Cortes e muitos outros), pela configuração, em tese, de diversos crimes, principalmente tráfico de influência e corrupção.

Agora os procuradores do estado, que detêm a competência legal para promover a abertura do inquérito e a propositura da ação, vão ter que definir se a Procuradoria é do Estado (e realmente zela pelos interesses do povo do Rio de Janeiro) ou se a Procuradoria é apenas do governo (e vai sucumbir às pressões do governador).

Não é a primeira vez que Cabral vai depender da Procuradoria. Em 1998, já dava demonstrações explícitas de que estava milionário. Ainda era filiado ao PSDB, mas rompeu com o então governador Marcello Alencar, que o denunciou ao Ministério Público Estadual por improbidade administrativa (adquirir bens, no exercício do mandato, incompatíveis com o patrimônio ou a renda de agente público), pela compra de uma mansão no condomínio Portobello em Mangaratiba.

A carreira de Cabral poderia ter acabado aí. Mas na ocasião, estranhamente a imprensa não mergulhou fundo no assunto. Foi noticiado apenas que Cabral alegou que fazia “consultoria política” para a agência do publicitário Rogério Monteiro, que lhe pagaria R$ 9 mil por mês. A quantia era insuficiente para justificar os elevados gastos de Cabral, mas a acusação de Marcello Alencar não prosperou, porque o subprocurador-geral Elio Fischberg arquivou a denúncia.

Elio Fischberg salvou o governador e agora está prestes a ser expulso do Ministério Público, por ter falsificado as assinaturas de outros procuradores no arquivamento de inquérito civil que investigava policiais acusados de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito, em 2002, entre os quais o ex-chefe da Polícia Civil Rafik Louzada.

O Órgão Especial do Colégio de Procuradores de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, em sua mais recente sessão, autorizou o procurador-geral de Justiça, Cláudio Lopes, a ajuizar Ação Civil Pública para a decretação de perda do cargo do ex-subprocurador-geral Elio Fischberg. Por unanimidade, os conselheiros votaram a favor da autorização, em dois processos envolvendo Fischberg.

Agora, novamente Cabral está nas mãos da Procuradoria, mas desta vez Fischberg não poderá salvá-lo. Dependendo da atitude que tomar, a Procuradoria pode se desmoralizar junto com o governador. A missão de Regis Fichtner é blindar Sergio Cabral, para evitar a abertura de um inquérito. Se não conseguir impedir, Fichtner vai então lutar para enfraquecer ao máximo a investigação, para que ao final não sejam pleiteadas a suspensão dos poderes políticos do governador nem a devolução dos prejuízos aos cofres públicos.

Aliás, a escolha de Fichtner para blindar a operação foi de precisão cirúrgica, porque o dublê de chefe da Casa Civil e procurador do Estado é um especialista em fraude à lei, expertise que lhe proporcionou o grau de Mestre em Direito pela Universidade de São Paulo, tendo até publicado um livro sobre o empolgante tema: “A Fraude à Lei” (Editora Renovar, 1994, 142 páginas). Trata-se, portanto, de um mestre no assunto, que sabe como poucos as melhores manobras para blindar o governador, é claro.

TRIBUNA DA INTERNET

Ampliação de estaleiro com permuta já aprovada