er

er

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Estudante de direito da FGV é baleado na saída de banco na Zona Sul do Rio

Um aluno de direito de 25 anos, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), foi baleado, na tarde desta quarta-feira, em uma tentativa de assalto na Praia de Botafogo, na Zona Sul do Rio. De acordo com a assessoria da fundação, o crime ocorreu quando a vítima saiu de um banco no edifício Argentina.

Com um tiro no abdômen, o jovem foi socorrido por alunos e funcionários da própria fundação e, em seguida, levado para o Hospital municipal Souza Aguiar. Lá, segundo a FGV, ele já foi operado para a retirada do projétil e não corre mais perigo de morte.

O assaltante conseguiu fugir. Segundo a PM, testemunhas disseram que o criminoso atirou após o estudante se negar a entregar a bolsa. Homens do 2º BPM (Botafogo) fizeram buscas na região durante toda a tarde.

SRZD

Polícia prende cinco pessoas por arrastão na Rodovia Amaral Peixoto

Moradores e comerciantes do município de Maricá reclamam do aumento da violência na região desde a instalação de Unidades de Polícia Pacificadora na capital fluminense

A insegurança ronda quem transita pela RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto), no município de Maricá. Moradores e comerciantes reclamam do aumento de assaltos a pedestres na região. O último caso registrado aconteceu na madrugada desta terça-feira, quando policiais do Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) de Maricá capturaram cinco homens, sendo dois menores, que praticavam um arrastão na rodovia, altura do quilômetro 31. De acordo com os policiais, o grupo assaltava transeuntes, que caminhavam às margens da rodovia, e estavam em um carro modelo Palio, de cor verde. Todos os indivíduos seriam de Itaboraí e chegaram a Maricá pela RJ-114, rodovia que liga os dois municípios.

No carro, que seria da mãe de um dos suspeitos, foram encontrados os pertences das vítimas como bolsa, celulares, relógios, bonés, além de documentos. Com os bandidos foi apreendida uma pistola de brinquedo, que estaria sendo usada para ameaçar as vítimas. Cinco pessoas registraram a queixa e tiveram seus pertences recuperados. O caso foi registrado na 82ª DP (Maricá), onde foi constatado que nenhum dos jovens tinha passagem pela polícia.

De acordo com moradores o número de assaltos tem crescido na cidade, desde a instalação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) na capital, pois, segundo eles, bandidos estariam migrando para Maricá.

O frentista de um posto de gasolina, que preferiu não se identificar, com medo da violência, afirma que nos últimos seis meses os assaltos acontecem com frequência na margem da rodovia.

“A RJ (106) é escura e os assaltos são constantes. Minha irmã teve sua bolsa levada por dois bandidos de moto, quando caminhava para casa. Nos últimos seis meses muitas pessoas reclamam dos assaltos que acontecem aqui. Com as UPPs muitas pessoas diferentes começaram a circular na região, os assaltos começaram a ser mais frequentes. Apesar da polícia dizer que não, acredito que muitos bandidos circulam pela cidade”, diz.

O comerciante Luiz Antonio Santos, 39 anos, tem medo de ser alvo dos bandidos que estão atacando a região e já pensa em contratar segurança.

“Muita gente reclama de ter sido vítima de assalto nas margens da rodovia. A estrada sempre foi movimentada, devido ao acesso à Região dos Lagos, e não tinha esses problemas, agora tenho muito medo de ser mais uma vítima da violência. Já penso em contratar segurança para a loja. A população paga impostos para ter o serviço de segurança, mas ele é falho”, reclama.

A Polícia Militar não confirma a suspeita de que bandidos de áreas ocupadas por UPP tenham migrado para a região.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

SOLUÇÃO PARA AS BARCAS - CASSAR A CONCESSÃO

Segundo os passageiros, quando a barca tentava se aproximar do píer, ela se chocou duas vezes contra a plataforma, derrubando as pessoas que estavam em pé aguardando o desembarque.

EU ACREDITO EM DUENDES!

Traficante Nem blefou, diz Beltrame
Horas antes de ser preso, o traficante Nem e seus advogados combinaram com vários policiais a suposta rendição do bandido, mas tudo não passava de um blefe. O objetivo de Nem e seus cúmplices era confundir a polícia para permitir sua fuga. Esta é a convicção do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame: “Na noite da prisão, liguei para o comandante da PM e ele estava dormindo no 2º BPM (Botafogo) porque tinha a informação de que o Nem iria se apresentar em três lugares diferentes, entre eles a Vista Chinesa”, revelou Beltrame, após o encerramento do Programa Roda Viva, da TV Cultura, onde foi entrevistado na noite de segunda-feira.

- Reparem no vídeo que mostra a chegada de Nem à Polícia Federal. Um policial grita assim “perdeu, jogador”. E foi isso: o bandido jogou o tempo inteiro, fingiu que ia se entregar, mas era tudo um plano de fuga - acrescentou Beltrame.

O secretário acredita na inocência dos policiais da Delegacia de Maricá que abordaram o veículo onde o bandido estava escondido no porta-malas. Mas acrescentou que a Corregedoria de Polícia está investigando o caso. A Polícia Federal também instaurou inquéritos para apurar a versão.

Tentativa de assalto ou atentado?


O carro do deputado estadual Geraldo Moreira (PTN) foi atingido por três tiros no final da noite desta segunda-feira (28) na rodovia Washington Luiz (BR-040), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Duas linhas de investigação estão em curso: a possibilidade de atentado ou tentativa de assalto.

No momento do ataque - ocorrido na pista lateral da rodovia, sentido Rio, na altura do hospital Municipal Moacyr Rodrigues do Carmo - o deputado estava em um veículo oficial da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), modelo Volkswagen Bora. Em depoimento à polícia, Moreira contou que estava sozinho e que voltava de um compromisso político em Santa Cruz da Serra, bairro de Caxias.

Segundo a polícia, o ataque aconteceu por volta das 23h, quando o carro do deputado foi cercado por outro veículo. Moreira teria tentado fugir e os criminosos atiraram.

Deputado responde por homicídio

Geraldo Moreira responde na Justiça pela morte do médico Carlos Alberto Peres Miranda, em 2008. Na ocasião, dois suspeitos foram presos em flagrante por atirar no médico. A dupla teria sido sido contratada por dois policiais militares, a mando do deputado, segundo o Ministério Público. Os quatro envolvidos estão presos, já Moreira responde em liberdade. A motivação do crime seria passional, já que o médico era namorado da ex-mulher do deputado.

Ultimo Segundo

Vai dar Beltrame na cabeça - Secretário de Segurança acha que jogo do bicho poderia ser legalizado

Mesmo afirmando que não se oporia à descriminalização do jogo do bicho, o secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, diz que o Estado precisaria se adaptar para formalizar a atividade.

De acordo com o secretario, algumas medidas poderiam ser tomadas para regularizar o jogo, disse em entrevista ao programa "Roda Viva", da "TV Cultura", na última segunda-feira.

"Acho que poderia legalizar sem problema, mas dentro de uma estrutura formal de direitos e obrigações. O apontador, por exemplo, teria carteira assinada e o Estado precisaria arrumar um jeito de arrecadar impostos", informou.

Após acompanhar a detenção de um "apontador", Beltrame disse que não entendeu muito a ação da polícia quando prendeu o homem. Ao chegar à delegacia, ele só foi fichado e liberado, mas foi constatado que ele tinha sido flagrado outras 14 vezes. A justificava dada pelos policiais foi de que se trata de um crime de menor potencial ofensivo.

"Eu não entendi isso. Achei que depois de tantas vezes pudesse se transformar em um crime de médio potencial. Se não resolvermos isso, vamos ficar prendendo e soltando as pessoas. Isso desmoraliza a polícia", afirmou.

SRZD

DEPUTADA CIDINHA CAMPOS PUXA SACO DO GOVERNADOR VASCAÍNO

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Tráfico migra para o asfalto em Copacabana. Mas moradores denunciam

Enquanto a Polícia Militar ocupa os morros, os bandidos descem pro asfalto. Isso aconteceu no Bairro Peixoto, área nobre de Copacabana, vizinha à favela da Ladeira dos Tabajaras, que tem tem Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) desde janeiro do ano passado, portanto há quase um ano. Os traficantes daquela favela tinham uma espécie de posto avançado no asfalto, conhecido como "estica". Com poucas armas, mas uma estrutura hierarquizada, com braços de classe média e vasta clientela, a quadrilha foi desmantelada sexta-feira passada numa ação conjunto da 12a DP (Rua Hilário de Gouveia, em Copacabana) e o 19o Batalhão da PM. Os policiais que chefiaram a investigação elogiaram a participação dos moradores de Copacabana, que denunciaram os traficantes. Essa atitude deveria se tornar comum em qualquer parte da cidade. Se cada morador estiver atento e denunciar, os bandidos irão cada vez mais perder espaço. Mas não esqueça de tomar todos os cuidados para denunciar, como evitar ligar de casa ou de orelhão próximo a sua residência.

A operação policial no Bairro Peixoto foi um sucesso. Policiais prenderam cinco homens e apreenderam dois menores durante na noite de sexta-feira. Entre os presos, está o professor de educação física Diogo Salgado Gomes, de 26 anos, morador da Avenida Atlântica. A investigação conjunta da 12ª DP (Copacabana) e do 19º BPM (Copacabana) começou há três meses e o objetivo é combater o comércio ilegal de drogas na Praça Edmundo Bittencourt, no Bairro Peixoto. Cerca de 30 pessoas que estavam no local chegaram a ser encaminhadas à delegacia, mas foram liberadas em seguida. Eram usuários de drogas.

- Há três meses estamos monitorando e gravando imagens da venda ilegal na localidade. Também contamos com denúncias de moradores, por meio do Disque-Denúncia (2253-1177), na própria delegacia e no batalhão. Os prisões foram efetuadas em flagrantes, e os envolvidos tinham drogas ou arma - explicou o titular da 12ª DP, Antenor Martins, que ainda elogiou a postura dos moradores do bairro. - A população de Copacabana é atuante, cobre, exige, denuncia. Atribuo grande parte dos resultados obtidos pela polícia a isso.

Ao todo, 30 agentes participaram da operação, que ainda contou com o apoio de cães farejadores. Também foram presos Roberto Luiz Garcia dos Santos, 25 anos, João Victor Baptista Trindade, 19 anos, André Luis Mendonça de Moura, 23 anos e Carlos Magno Cavalcanti Gonçalves, 18 anos. Sem identificar cada preso, o delegado informou que um deles já tinha duas passagens pela polícia, entre elas, por roubo de carros. Além disso, todos são moradores de Copacabana, a maioria do Morro dos Tabajaras, onde há uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

- Eles começaram a fazer o chamado "Estica". Como a UPP está em foco, procuraram um local próximo ao Tabajras para comercializar a droga - explicou o delegado, que acrescentou que já existia um comércio ilegal organizado. - O menor de 16 anos que apreendemos era o líder. Já havia uma hierarquia na estrutura.

Durante a ação, foram apreendidos um revólver calibre 38 com numeração raspada, 73 papelotes de cocaína, seis de maconha, 57 pedras de crack e R$ 509 em espécie. Parte da droga estava dentro de um orelhão.

Torcedores de Vasco e Fluminense brigam no fim da partida


Uma briga envolvendo torcedores do Vasco e do Fluminense na saída do estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, levou pânico para as pessoas que não estavam envolvidas na briga. No final da partida deste domingo, que terminou com vitória de 2 x 0 do Vasco sobre o Fluminense, parte da torcida tricolor foi para cima da torcida de vascaínos que saíam do jogo.

A briga envolveu cerca de 300 pessoas de torcidas organizadas do Vasco e do Fluminense. O confronto foi na Rua das Oficinas e os torcedores lançaram morteiros em direção às pessoas, e apedrejaram carros que estavam passando no momento da briga.

Houve correria, e algumas pessoas saíram sangrando e com ferimentos pelo corpo. A polícia tentava conter a confusão.

Os organizadores do jogo fecharam os portões do estádio, impedindo que algumas famílias voltassem para dentro do local. Isso resultou em uma aglomeração de pessoas que tentavam se proteger da confusão.

Um confronto também entre as duas torcidas aconteceu antes do início do jogo na estação de trens do Méier, próximo ao Engenhão. Policiais militares conseguiram dispersar os torcedores envolvidos na briga. Uma pessoa ficou ferida e foi levada para o Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio.

domingo, 27 de novembro de 2011

EM 4 DIAS SETE PESSOAS FORAM ASSASSINADAS EM NITERÓI

Engenheiro é assassinado com tiro na nuca em Itaboraí

O engenheiro Ismar Nascimento Souza, 41 anos, diretor da Engineering S/A Serviços Técnicos, empresa que presta serviços ao Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), foi executado, sábado (26), com um tiro na nuca, em Itaboraí. O engenheiro morava em Niterói.

O corpo foi encontrado, banco do motorista do Polo prata KZJ-3669, de Maricá. No carro, onde foram encontrados um notebook, a carteira de trabalho de Ismar e contra-cheques, que o identificavam como diretor da prestadora de serviço.


ISP prevê aumento da criminalidade

Em agosto deste ano, O SÃO GONÇALO publicou matéria especial sobre o iminente aumento da violência devido aos impactos da instalação do Comperj, em Itaboraí. Estudo feito pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) previa uma escalada exponencial nos próximos 10 anos.

De acordo com o ISP, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes – que em 1980 era 12 – passou para 95 no ano passado. De acordo com o diagnóstico, a estimativa da taxa de homicídios dolosos, que em 2010 registrou 50 vítimas por 100 mil habitantes, deverá passar para 200 em 2020.

OUTROS CASOS ENTRE OS DIAS 24 E 27 DE NOVEMBRO

Comerciante é executado dentro de carro em São Gonçalo

Um corpo foi encontrado carbonizado dentro do porta-malas de um Gol

Funcionário de uma empresa de cerâmica foi encontrado morto a pauladas

Torturado e executado em Niterói

O aposentado de 65 anos foi morto com pelo menos cinco tiros

Corpo de homem morto a tiros é encontrado no bairro Raul Veiga

Piada da semana - Oficiais da PM mal avaliados irão para a reserva mais cedo

Oficiais da Polícia Militar que não forem bem avaliados vão vestir o pijama mais cedo. Assim, o novo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Erir Ribeiro da Costa Filho, pretende melhorar a atuação da tropa e resolver os sérios problemas enfrentados pela corporação. Através de uma regra que sempre existiu no regimento interno — mas nunca foi posta em prática —, a Polícia Militar vai avaliar os oficiais e tirar da ativa aqueles que não tiverem boas notas.

Atualmente, mais de dez oficiais estão na berlinda e podem ser encaminhados à reserva ex-oficio por terem sido reprovados por três vezes na comissão de promoção que ocorre três vezes ao ano. A maioria deles, major. “Se continuar, vão para casa descansar”, enfatiza.

Rio pacificado - Cinco carros foram incendiados na Tijuca



A polícia trabalha com três hipóteses para investigar o atentado ocorrido na madrugada deste domingo na Rua Barão de Mesquita, na Tijuca, quando cinco carros foram incendiados por dois homens numa moto: vandalismo, vinganaça contra o dono de um dos veículos e retaliação contra as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). A informação é de investigadores da 20ª DP (Vila Isabel), onde o caso foi registrado como dano.

O ataque ocorreu por volta das 3h, num trecho a poucos metros do 6º BPM (Tijuca). Bombeiros e peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) estiveram no local e o laudo sobre que tipo de explosivo causou o fogo deve ficar prontos em até trinta dias.

Jornal EXTRA

Rio pacificado - Homens armados fazem polícia fechar acessos do túnel Zuzu Angel

Carros parados no túnel Zuzu Angel após polícia tentar deter criminosos

Motoristas que pegaram o túnel Zuzu Angel, na Zona Sul do Rio, na tarde deste domingo, levaram um susto. A Polícia Militar fechou os acessos ao local, bem como o Túnel Acústico, depois que homens armados foram vistos no entorno. Os dois túneis fazem a ligação entre os bairros da Gávea e São Conrado. A Rocinha fica logo na saída da pista sentido São Conrado e Barra da Tijuca.

Por meio do Twitter da Lei Seca, motoristas relataram os momentos de susto e descreveram que diversos criminosos armados estariam promovendo um arrastão. Foi quando os policiais chegaram e conseguiram deter os suspeitos.

Um deles diz: "Homem armado numa picape no túnel acústico sent Gávea, rendendo dois sujeitos, fechou a rua!!".

Um outro internauta descreve: "Carros voltando na contramão no Zuzu angel e tudo parado dentro do túnel eu tb!".

Minutos depois, com a situação aparentemente mais calma, um internauta diz: "Acabei de passar no Zuzu Angel sent. Barra e a policia já chegou e os vagabundos já estão detidos".

sábado, 26 de novembro de 2011

PDT QUER EXPULSAR DEPUTADO PAULO RAMOS



Primeira-dama do tráfico, vai para Bangu 7

Danúbia de Souza Rangel, mulher do traficante Nem, foi levada, sob forte escolta policial, para o Instituto Médico Legal (IML), em São Cristóvão, onde passará por um exame de corpo de delito. Esse é o último ato antes da tranferência da Xerifa da Rocinha, para o presídio de segurança máxima de Bangu 7.

O advogado dajá entrou com um pedido de habeas corpus no plantão judiciário, pleiteando a libertação de Danúbia. Não havia um mandado de prisão contra ela, mas ela foi indiciada por associação ao tráfico de drogas pelo delegado Carlos Augusto Nogueira Pinto, titular da 15ª DP.

Sobrinho de presidente da Alerj entrega-se à polícia



Indicado por Paulo Melo, Nildo é apontado com um dos chefes do esquema


Apontado com um dos líderes da quadrilha que praticava fraudes em postos do Detran, Nildo Sá Ferreira se entregou à polícia. Ele é sobrinho do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeirio (Alerj), deputado Paulo Melo (PMDB), ele era chefe das duas unidades de vistoria de Araruama (Região dos Lagos). A mulher do acusado, a certificadora de veículos Luciana Francisca Bronze, permanece foragida.

Paulo Melo é responsável pela indicação do sobrinho para a chefia do posto. Nildo se apresentou na 118ª DP (Araruama) acompanhado do advogado. O acusado está preso na carceragem de Araruama e deve ser transferido para o presídio Ary Franco, em Água Santa (Zona Oeste), na próxima semana.

Os responsáveis pela investigação seguem no encalço da mulher dele, responsável por emitir documentos de veículos que não compareciam aos postos de vistoria. Ela assinava os laudos baseados em informações falsas fornecidas por vistoriadores e peritos. O responsável por fiscalizar o processo era Nildo, conhecido como Dida.

A polícia fez buscas em diversos endereços da Região dos Lagos à procura de Luciana e cumpriu mandado de busca e apreensão na residência do casal, em Saquarema.

Dos 44 mandados de prisão contra integrantes de quadrilhas que agiam em Araruama, São Pedro da Aldeia e Paracambi, 40 foram cumpridos. Além de Luciana, outras três pessoas estão foragidas.

Jornal do Brasil

Já está em cana a mulher do traficante Nem


Danúbia, conhecida como a "Xerife" da Rocinha, estava na casa de uma cabeleireira na Estrada da Gávea. O delegado titular Carlos Augusto Nogueira Pinto prendeu a mulher baseado em depoimentos e em fotos de sites de relacionamento em que Danúbia aparece com joias, perto de um helicóptero, ostentando riqueza.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Chefes de máfia no Detran-RJ têm ligação com deputados

Dois chefes de postos de vistoria do Detran apontados como organizadores de esquemas de fraudes que incluíam vistorias fantasmas tinham padrinhos políticos: Ricardo Loroza de Rezende, do posto de Paracambi, preso com mais 36 pessoas, era protegido do deputado estadual André Ceciliano (PT), enquanto Nildo Sá Ferreira, de Araruama, ainda foragido, fora indicado pelo presidente da Alerj, Paulo Mello (PMDB), de quem é sobrinho, revelam Chico Otavio e Natanael Damasceno.

Agência Globo

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Polícia PROCURA sobrinho do Presidente das ALERJ Paulo Melo



Nildo Sá Ferreira, vulgo "DIDA", chefe do posto do Detran de Araruama, e também é sobrinho do Presidente da ALERJ o Deputado Paulo Melo está foragido.
Segundo o subcoordenador do Gaeco na região dos Lagos, promotor Marcelo Barbosa Arsenio, o grupo faturava até R$ 4 milhões por ano. Ele diz que várias quadrilhas cometiam os mesmos crimes, mas não conversavam entre si.

Foram presos funcionários dos postos do Detran em Araruama, São Pedro da Aldeia, Paracambi e Santa Cruz (zona oeste do Rio). Em Cabo Frio, um funcionário também foi preso.

ADESTRAMENTO DE LUXO

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

SOS BOMBEIROS CONVOCAÇÃO




Todos os bombeiros militares do Estado do Rio de Janeiro, convocação para encontro com desembargadores federais sobre NOSSOS DIREITOS no auditório da ABI (R. Araújo Porto Alegre, 71 - Centro), às 18h.


JUNTOS SOMOS FORTES!!

Quadrilhas no Detran faturavam até R$ 250 mil por mês na região dos Lagos

Dida, sobrinho do Paulo Melo (Presidente da ALERJ ) ganhou de presente a chefia do posto do DETRAN de Araruama. Será que ele é um dos presos?

O corregedor do Detran-RJ, delegado David Antonhy Alves, informou nesta quarta-feira que as quadrilhas que atuavam em postos do órgão chegavam a faturar R$ 250 mil por mês com propinas na região do Lagos.

As fraudes ocorriam nas cidades Maricá, Saquarema, Japeri, Cabo Frio e Iguaba, mas se concentravam em postos de vistoria em Paracambi, Araruama e São Pedro D’Aldeia e envolviam servidores e prestadores de serviço do Detran-RJ, despachantes e auxiliares.

Pelo menos 36 pessoas foram presas nesta quarta-feira (23). As prisões ocorreram durante a operação Direção Oposta, que tem o objetivo de cumprir 45 mandados de prisão e 44 mandados de busca e apreensão contra funcionários e prestadores de serviço dos Postos de Vistoria do Detran carioca.

“A operação Direção Oposta, em paralelo com a Contramão, atua de forma proativa e não vai tolerar nenhum desvio de conduta. É só o começo. Temos indicativos de que isso também ocorre em outras localidades”, disse o delegado.

Entre as fraudes identificadas estavam as vistorias realizadas “no escuro”, pelas quais usuários conseguiam legalizar os seus veículos sem a realização da vistoria anual ou da vistoria para a transferência de propriedade com a emissão do CRLV 2011.

Com a “agilização de vistorias”, usuários entravam em contato com funcionários do posto de vistoria e ofereciam propina, com o fim de obter a aprovação dos seus veículos e a emissão do CRLV.

“Quebra de orelha” consistia na retirada de gravames do sistema do Detran e emissão de nova documentação em nome de “laranjas” para veículos que estavam alienados, com o uso de documentos falsos.

“Pulo”, era operação de transferência de propriedade do veículo para terceiro sem a realização de vistoria e do pagamento de taxas obrigatórias.

Candidatos pagavam de R$ 800 a R$ 4.000 para obter uma CNH sem que precisassem comparecer às aulas práticas e teóricas, sendo a mesma prática criminosa descoberta não operação Contramão 2.

“São três núcleos diferentes que não tinham relação entre eles. A operação se iniciou em Paracambi e na Região dos Lagos. Com o caminhar, a gente viu que as atividades eram as mesmas. E a coordenação geral do Gaeco decidiu fazer uma única operação", disse o subcoordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Marcelo Barbosa Arsênio.

Segundo a polícia 88 “laranjas”, só na cidade de Paracambi, participavam do esquema. Pessoas falecidas tiveram seus nomes envolvidos, outras sequer moravam na cidade. Também eram utilizados no esquema endereços falsos para registrar o domicilio dos donos de veículos. De aproximadamente 1.400 emplacamentos realizados na cidade em 2011, 200 tiveram sua legalização fraudada.

O corregedor do Detran-RJ disse que o cidadão deve desconfiar de facilidades no processo de vistoria. “Na dúvida, o cidadão deve procurar a ouvidoria do Detran ou a corregedoria. Os serviços nos postos continuam normalmente, não param, quem estava marcado ao longo da semana pode comparecer para realizar o serviço”, disse Alves.

Diferentemente da operação Contramão, que no mês de outubro prendeu uma quadrilha que falsificava carteiras de habilitação no Rio, a operação Direção Oposta visa a coibir a chamada “máfia da vistoria”, que facilitava a transferência de veículos e vistorias no Detran em nove cidades do Rio de Janeiro.

Ela começou a partir de uma investigação da Corregedoria do Detran do Rio de Janeiro, em conjunto com o Gaeco. Ainda na rua para cumprir mandados de prisão, busca e apreensão, participam da ação seis delegados, cinco promotores de Justiça e de mais de 200 agentes da Polícia Civil.

Quadrilhas no Detran faturavam até R$ 250 mil por mês na região dos Lagos (RJ), diz corregedor

O corregedor do Detran-RJ, delegado David Antonhy Alves, informou nesta quarta-feira (23) que as quadrilhas que atuavam em postos do órgão chegavam a faturar R$ 250 mil por mês com propinas na região do Lagos, norte do Estado do Rio de Janeiro.

As fraudes ocorriam nas cidades Maricá, Saquarema, Japeri, Cabo Frio e Iguaba, mas se concentravam em postos de vistoria em Paracambi, Araruama e São Pedro D’Aldeia e envolviam servidores e prestadores de serviço do Detran-RJ, despachantes e auxiliares.

Pelo menos 36 pessoas foram presas nesta quarta-feira (23). As prisões ocorreram durante a operação Direção Oposta, que tem o objetivo de cumprir 45 mandados de prisão e 44 mandados de busca e apreensão contra funcionários e prestadores de serviço dos Postos de Vistoria do Detran carioca.

“A operação Direção Oposta, em paralelo com a Contramão, atua de forma proativa e não vai tolerar nenhum desvio de conduta. É só o começo. Temos indicativos de que isso também ocorre em outras localidades”, disse o delegado.

Entre as fraudes identificadas estavam as vistorias realizadas “no escuro”, pelas quais usuários conseguiam legalizar os seus veículos sem a realização da vistoria anual ou da vistoria para a transferência de propriedade com a emissão do CRLV 2011.

Com a “agilização de vistorias”, usuários entravam em contato com funcionários do posto de vistoria e ofereciam propina, com o fim de obter a aprovação dos seus veículos e a emissão do CRLV.

“Quebra de orelha” consistia na retirada de gravames do sistema do Detran e emissão de nova documentação em nome de “laranjas” para veículos que estavam alienados, com o uso de documentos falsos.

“Pulo”, era operação de transferência de propriedade do veículo para terceiro sem a realização de vistoria e do pagamento de taxas obrigatórias.

Candidatos pagavam de R$ 800 a R$ 4.000 para obter uma CNH sem que precisassem comparecer às aulas práticas e teóricas, sendo a mesma prática criminosa descoberta não operação Contramão 2.

“São três núcleos diferentes que não tinham relação entre eles. A operação se iniciou em Paracambi e na Região dos Lagos. Com o caminhar, a gente viu que as atividades eram as mesmas. E a coordenação geral do Gaeco decidiu fazer uma única operação", disse o subcoordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Marcelo Barbosa Arsênio.

Segundo a polícia 88 “laranjas”, só na cidade de Paracambi, participavam do esquema. Pessoas falecidas tiveram seus nomes envolvidos, outras sequer moravam na cidade. Também eram utilizados no esquema endereços falsos para registrar o domicilio dos donos de veículos. De aproximadamente 1.400 emplacamentos realizados na cidade em 2011, 200 tiveram sua legalização fraudada.

O corregedor do Detran-RJ disse que o cidadão deve desconfiar de facilidades no processo de vistoria. “Na dúvida, o cidadão deve procurar a ouvidoria do Detran ou a corregedoria. Os serviços nos postos continuam normalmente, não param, quem estava marcado ao longo da semana pode comparecer para realizar o serviço”, disse Alves.

Diferentemente da operação Contramão, que no mês de outubro prendeu uma quadrilha que falsificava carteiras de habilitação no Rio, a operação Direção Oposta visa a coibir a chamada “máfia da vistoria”, que facilitava a transferência de veículos e vistorias no Detran em nove cidades do Rio de Janeiro.

Ela começou a partir de uma investigação da Corregedoria do Detran do Rio de Janeiro, em conjunto com o Gaeco. Ainda na rua para cumprir mandados de prisão, busca e apreensão, participam da ação seis delegados, cinco promotores de Justiça e de mais de 200 agentes da Polícia Civil.

PDT QUER EXCLUIR O DEPUTADO PAULO RAMOS DO PARTIDO

JORNAL EXTRA

VEJA O DISCURSO DO DEPUTADO NO PLENÁRIO

terça-feira, 22 de novembro de 2011

PM DENUNCIADO POR HOMICÍDIO É NOMEADO SUBCOMANDANTE


São Gonçalo - Violência sem fim

Corpos carbonizados de dois homens, ainda não identificados, foram encontrados na tarde de ontem, no porta-malas do Corsa táxi, KNR-1881, abandonado na Rua Maurício de Melo, no bairro Boa Vista, em São Gonçalo.

Chamados por moradores, policiais do 7º BPM (São Gonçalo) chegaram ao local por volta de 15h30, quando bombeiros ainda apagavam as chamas. Os corpos estavam desfigurados e serão analisados pelo Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó, em São Gonçalo.

Policiais da 73ª DP (Neves) pretendem requisitar imangens de câmeras de segurança de uma empresa de pescado localizada perto do local do crime para tentar identificar os criminosos.

Este já é o segundo caso de ‘desova’ registrado no final de semana. Na manhã de sábado um corpo foi encontrado dentro do porta-malas de um carro roubado, modelo Corolla, na Rua Doutor João Jorge, no Morro dos Palácio, no Ingá, em Niterói.
Corpos carbonizados de dois homens, ainda não identificados, foram encontrados na tarde de ontem, no porta-malas do Corsa táxi, KNR-1881, abandonado na Rua Maurício de Melo, no bairro Boa Vista, em São Gonçalo.

Chamados por moradores, policiais do 7º BPM (São Gonçalo) chegaram ao local por volta de 15h30, quando bombeiros ainda apagavam as chamas. Os corpos estavam desfigurados e serão analisados pelo Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó, em São Gonçalo.

Policiais da 73ª DP (Neves) pretendem requisitar imangens de câmeras de segurança de uma empresa de pescado localizada perto do local do crime para tentar identificar os criminosos.

Este já é o segundo caso de ‘desova’ registrado no final de semana. Na manhã de sábado um corpo foi encontrado dentro do porta-malas de um carro roubado, modelo Corolla, na Rua Doutor João Jorge, no Morro dos Palácio, no Ingá, em Niterói.

Leia: Digitais podem ajudar polícia em crime

Sepe fará nesta quarta-feira protesto contra fechamento de escolas estaduais

Os profissionais e alunos das escolas estaduais noturnas ameaçadas de fechamento realizarão um ato nesta quarta-feira (23), na porta da Secretaria Estadual de Educação (Seeduc), a partir das 18h. Eles querem protestar contra o anúncio feito pelo secretário de estado de Educação, Wilson Risolia, do fechamento de 48 escolas que funcionam em regime compartilhado com a Secretaria Municipal de Educação do Rio.

Além da manifestação, o sindicato vai promover uma campanha intitulada "Fechar escolas é crime", veiculando mensagens contra a extinção de escolas noturnas na capital e dos municípios que também terão unidades fechadas.

Em 2010, uma mobilização impediu o fechamento de mais de duas dezenas de escolas noturnas que atendiam alunos das regiões da Tijuca, Rio Comprido e Centro.

A intenção do protesto é impedir que 48 escolas sejam fechadas para o ano letivo de 2012. As unidades ameaçadas têm aulas da rede municipal de dia e da rede estadual no turno da noite.

Paralisação em Caxias

Os profissionais das escolas municipais de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, farão uma paralisação de 24 horas nesta quarta feira (23). A categoria pretende realizar um ato público na Praça Roberto Silveira, a partir das 13h, em protesto pela qualidade do ensino.

O Repórter

Homem morre baleado em operação policial na Maré

Polícia realiza ação contra quadrilha que praticava sequestros relâmpagos

O comerciante Altair Bento de Oliveira, de 46 anos, morreu atingido por um tiro durante uma operação da Polícia Civil no Complexo da Maré, na zona norte do Rio de Janeiro na manhã desta terça-feira. O clima era tenso e moradores protestavam contra a ação policial. Cerca de 200 homens com blindados e helicópteros estavam no conjunto de favelas.

Em nota, a Polícia Civil informou que a Operação Trovão ocorreu nas comunidades Parque União e Nova Holanda, em Bonsucesso. O objetivo é cumprir quatro mandados de prisão e seis de busca e apreensão contra uma quadrilha acusada de praticar sequestros relâmpagos, roubos de veículos e a residências na Ilha do Governador (zona norte) e adjacências.

Nove integrantes da quadrilha já foram presos, segundo a polícia.

Agência Estado

Rio Pacificado -Policial é baleado em ação para libertar vítima de sequestro

Um policial ficou ferido após ser baleado em ação da Delegacia Antissequestro (DAS) para libertar vítima de sequestro relâmpago na noite dessa segunda-feira no Rio de Janeiro. A vítima estava deixando a praia de Ipanema, na zona sul, quando foi abordada por quatro homens armados. Por volta das 20h, os criminosos ligaram para o ex-marido da mulher exigindo resgate, segundo informações da rádio CBN.

O marido entrou em contato com a DAS, que passou a monitorar as ligações feitas do celular da vítima. Os sequestradores concordaram em receber o pagamento na Avenida Rio Branco, no centro. Após o resgate ser pago, os bandidos perceberam que estavam sendo seguidos, e atiraram contra os policiais, atingindo um inspetor no ombro. Os criminosos partiram com o carro da vítima e o abandonaram, com ela dentro, na Rua da Alfândega, a menos de 1 km do local do resgate. A mulher, apesar de não ter ficado ferida, foi levada ao hospital por causa de uma crise nervosa. Segundo a polícia, ela poderia ser executada, uma vez que os bandidos alegaram que ela teria visto seus rostos. O policial baleado foi examinado e passa bem.

O Movimento Rio de Paz promove hoje (terça-feira) uma manifestação contra a corrupção.

Setenta vassouras verdes e amarelas foram fincadas em baldes com areia nas escadarias da ALERJ, representando o número de deputados estaduais da Casa.

Hoje acontecerá a segunda votação da proposta de emenda constitucional que cria a Lei da Ficha Limpa no estado.
A Lei da Ficha Limpa impede a nomeação para cargos públicos de pessoas consideradas inelegíveis.

sábado, 19 de novembro de 2011

Traficante Nem foi levado para presídio de segurança máxima em Mato Grosso do Sul


O traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, embarcou algemado pouco antes das 8h deste sábado (19) no avião que o levou para o Presídio Federal de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

O traficante deixou o complexo penitenciário em Bangu, zona oeste, por volta de 6h15, e seguiu para o aeroporto Santos Dumont, na região central do Rio.

FOLHA CORRIDA DO ADVOGADO DO NEM DA ROCINHA



ANCELMO GOIS

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Traficante Nem vai para presídio de segurança máxima

Ancelmo Góis

Prisão de Nem: PF vai investigar policiais civis

A Polícia Federal vai instaurar inquéritos para investigar a suposta prática de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro por parte dos policiais civis e advogados envolvidos na tumultuada prisão do traficante Nem, na semana passada. Serão investigados o delegado da 82ª DP (Maricá), Roberto Gomes Nunes, o inspetor Mussi, da mesma delegacia, e o inspetor Figueiredo, da Subchefia Operacional da Polícia Civil. Eles tentaram levar o bandido para a 15ª DP (Gávea), e não para a sede da PF, como queriam os PMs do Batalhão de Choque que prenderam o traficante.

O inquérito da PF vai correr paralelamente ao aberto pela Corregedoria da Polícia Civil para apurar o caso. Semana passada, o delegado Fernando Veloso, subchefe operacional da Polícia, afirmou que havia uma negociação com os advogados de Nem para que ele se entregasse.

Punição vai de advertência a expulsão

O Tribunal de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio (OAB-RJ) suspendeu preventivamente na quinta-feira os três advogados flagrados levando o traficante. Os 60 integrantes do tribunal foram unânimes na decisão, que impede o exercício da profissão pelo prazo de 90 dias. Segundo o vice-presidente da OAB-RJ, Sérgio Fisher, os três estão sendo submetidos a um processo disciplinar pelo conselho pleno da entidade, que decidirá a punição a ser aplicada a eles. Ela vai de uma advertência até a expulsão dos quadros da entidade.

O conselho é formado por 80 pessoas que estão analisando cada caso. Fisher informou que se o processo administrativo não tiver sido concluído em 90 dias a suspensão é encerrada.

— Nenhum deles mandou representantes para o tribunal. Agora, eles têm direito a ampla defesa, que poderá ser feita durante o processo administrativo — explicou o vice-presidente da OAB-RJ.

Dos três, o único que está em liberdade é André Luís Soares Cruz, que se apresentou como cônsul honorário da República Democrática do Congo e foi autuado na Polícia Federal por favorecimento pessoal. Seu pai, Demóstenes Cruz e Luiz Carlos Cavalcante Azenha (advogado de Nem) estão presos em Bangu 8 por corrupção ativa.

O presidente do Conselho Nacional dos Peritos Judiciais, José Ricardo Rocha Bandeira, decidiu suspender André Cruz e Demóstenes Cruz dos cargos de diretor jurídico e auxiliar jurídico, respectivamente.

Traficante no Fórum atrai oficiais de Justiça

A passagem do traficante Antonio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, pela 38 Vara Criminal na última quarta-feira, para ser citado num processo em que é acusado de associação para o crime e o tráfico, provocou uma correria entre oficiais de Justiça. Eles aproveitaram para intimar o bandido em outros seis processos.

Alguns dos dez processos que tramitam na Justiça contra o traficante estavam suspensos, como prevê a lei quando o réu está foragido. Em dois casos, os juízes marcaram audiência de instrução e julgamento ainda este mês.

Para juiz, conduta de Nem é "inaceitável e repugnante"

Em todos os processos, o traficante é apontado como o chefe do tráfico na Rocinha.

Na sentença em que condenou o bandido a oito anos e quatro meses de prisão por associação para o crime, o juiz Luiz Márcio Victor Alves Pereira, da 33ª Vara Criminal, afirmou que a conduta social de Nem é "inaceitável e repugnante, com ampla repercussão negativa nas imprensas nacional e internacional, comprometendo a imagem da cidade e gerando a subversão do estado democrático de direito".

Nem também foi condenado em outro processo, que tramitou na 9ª Vara Criminal, pelo juiz Luciano Silva Barreto, a sete anos de reclusão, em julho de 2010. A sentença foi confirmada pelo Tribunal de Justiça.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Rocinha: Moradores suspeitam que eleição de presidente de associação no dia 30 não foi válida

Briga para representar favela
As suspeitas de que a eleição para a presidência da União Pró-Melhoramentos dos Moradores da Rocinha (UPMMR) possa ter sofrido alguma irregularidade ganharam força na voz dos moradores. Alguns chegam a dizer que, com as forças de paz, nova eleição deveria ser convocada, com apoio dos agentes de pacificação para garantir a democracia na escolha do representante da população.
A confusão na eleição virou caso de polícia, já que o delegado Carlos Augusto Nogueira, titular da 15ª DP (Gávea), vai apurar como o pleito aconteceu e se houve interferência de Nem. Durante a tarde desta segunda-feira, houve uma discussão entre o atual presidente da entidade, Leonardo Rodrigues Lima, e o ex-presidente, Willian de Oliveira, que fazia parte da Chapa 1, perdedora na eleição realizada dia 30, um mês antes da data habitual para a troca da presidência.

Na exaltada conversa, Leonardo teria pedido para que Willian não se posicionasse como liderança da comunidade, já que havia perdido as eleições. Willian lembrou ao opositor que é presidente do Movimento Popular de Favelas. Leonardo, que já exercia o cargo interinamente, após Antônio Ferreira, o Xaolin, deixar o cargo, foi eleito com 3.900 votos.
http://www.blogger.com/img/blank.gif
Quantidade de votos

“Acho estranho ele ter tido apenas essa quantidade de votos e ter sido eleito. Quantos eleitores existem na Rocinha então, com mais de 100 mil moradores?”, questiona um comerciante, sem se identificar. “Essa polêmica não tem fundamento, já que foi através do voto democrático que ele recebeu o cargo”, completou outro morador. Willian e Leonardo não quiseram comentar.

Em reunião amanhã na comunidade, os moradores podem pedir apoio da polícia caso queiram nova eleição.

Nem é acusado de: tráfico de drogas, associação para o tráfico, crime eleitoral, formação de quadrilha, homicídio e tentativa de homicidio

“A firma é rica e o patrão ajuda quem merece”, dizia o vale distribuído por Antônio Bonfim Lopes, o Nem, a moradores que pediam ajuda financeira na Rocinha, no Rio de Janeiro. Ex-chefe do tráfico da favela, Nem é acusado de uma extensa lista de crimes: tráfico de drogas, associação para o tráfico, crime eleitoral, formação de quadrilha, homicídio e tentativa de homicídio.

O vale era numerado e assinado pelo traficante, que também escrevia o valor concedido. O morador que conseguia o vale, saía em direção a qualquer boca de fumo, entregava o papel e recebia a quantia.

A ajuda era dada para os mais diversos tipos de pedido. Até R$ 1 mil podiam ser retirados de uma vez na boca.

Os relatos sobre o “reinado” de Nem delineiam a figura de um super-herói, que não deixava menor entrar para o tráfico, mas sim, que mandava ir para a escola. Financiava creches com o dinheiro da droga, promovia campeonatos para as crianças da favela. Certa vez, teria colocado duas piscinas no final do Valão, local mais afastado, para as crianças pobres brincarem em um domingo.

Segundo os relatos, Nem fazia reuniões com todos os representantes da comunidade para tratar de problemas de convivência. Algumas das resoluções serviam para ajudar a manter a facção, como um esquema de trânsito especial para que o traficante chegasse logo a locais mais seguros em caso de invasão policial. Outros serviam para manter a ordem, horários para o comércio, conduta dos moradores.

Antes de sair da favela, o traficante ainda teria financiado três dias de festa de despedida regada com cerveja à vontade para todos os moradores. Segundo alguns deles, é expressamente proibido tirar fotografias durante essas festas, frequentes na favela. Por isso, dizem não ter registro dos eventos.

Nem usava o Terreirão, parte alta da Rocinha, para fazer reuniões com líderes comunitários da favela. A quadra, onde ficava a refinaria, guarda lembranças de festas e execuções.

Estupradores, ladrões, homens que batiam na mulher ou eram flagrados cheirando o "produto". Todos eles passavam por um “tribunal” do tráfico. Nem perguntava a versão de cada um. Ouvidas todas as partes, Nem dizia: “Pode soltar, está tudo bem. Vai ali só falar com o Valter, que tá tudo certo”, relata um ex-traficante. “Você pode ter certeza", avisa ele, que diz ter abandonado o tráfico depois dessa morte. "Se for falar com o Valter, pode começar a rezar o Pai Nosso, que você vai morrer.”

G1

Dono de ONGs diz que conhece o ministro Carlos Lupi



O empresário Adair Meira, dono de três ONGs financiadas pelo Ministério do Trabalho, contestou ontem as declarações do ministro Carlos Lupi de que os dois não se conheciam. Em tom de desafio, o empresário sustenta que tem "elementos suficientes" para fazer o ministro refrescar a memória. Meira confirmou que "providenciou" o avião que, segundo a revista "Veja", foi usado por Lupi para fazer visitas ao Maranhão em dezembro de 2009.

Protestos anticorrupção serão realizados em 33 cidades no feriado



O feriado da Proclamação da República, dia 15 de novembro, celebrado nesta terça-feira, deverá servir de pretexto para milhares de brasileiros saírem às ruas em protesto contra a corrupção.

No Rio de Janeiro - às 15h, na Cinelândia, às 10h em Manguinhos e às 15h em Copacabana (Av. Atlântica - Posto 4) - e em pelo menos outras 32 cidades do país, manifestantes convocados pela internet vão apoiar iniciativas como a Lei do Ficha Limpa e pedir o fim da impunidade.

No Centro do Rio, o movimento "Todos Juntos Contra a Corrupção" vai montar um varal para pendurar notícias de denúncias e cartazes de protesto:http://www.blogger.com/img/blank.gif

- A ideia é colocar o máximo de notícias sobre corrupção desde que começou essa onda de denúncias. Comprei uma corda de 300 metros e espero que as pessoas possam colocar lá o que a gente vê todo dia - diz Cristine Maza, uma das organizadoras do protesto.

A ONG "Rio de Paz", responsável pelas vassouras que ficaram famosas desde o protesto na praia de Copacabana no dia 19 de setembro, também vai participar e levar adereços simbólicos: desentupidores de vaso, as vassouras e dois vasos sanitários (um para baixo e outro para cima, com uma torre no meio - simbolizando Brasília).

"Nem, vem que tem delação premiada"

domingo, 13 de novembro de 2011

sábado, 12 de novembro de 2011

Mulher passa mal e morre à espera de socorro em Nova Friburgo

Uma mulher morreu enquanto esperava por uma ambulância na tarde desta sexta-feira (11) em Nova Friburgo. Moradores chegaram a pedir ajuda, mas o socorro não chegou a tempo e ela foi socorrida por uma viatura da Polícia Militar, mas teria chegado morta ao hospital.


Marinilce Alves, de 44 anos, passou mal no Centro e desmaiou. Moradores ligaram pedindo o socorro e até tentaram reanimar a mulher com respiração boca a boca e massagem cardíaca, mas ela não reagiu.


Quase 25 minutos depois, a mulher foi resgatada por uma viatura da Polícia Militar e chegou ao Hospital Raul Sertã. Segundo os médicos, ela já chegou morta ao local. O que chama a atenção é que o hospital onde Marinilce deu entrada tinha 13 ambulâncias estacionadas.


A prisão de Nem pode unir facções rivais

Os acordos entre o governador e os traficantes para “pacificação” das favelas denunciados pelo Hélio Fernandes, agora, devido a prisão do “Nem” deverão acarretar novos tipos de entendimentos entre o corrupto governador Sérgio Cabral e a união da facções rivais e, sem dúvida, ainda mais rentáveis para o “cofrinho” do Cabral e sua trupe.

O coronel da reserva da Polícia Militar e ex-secretário nacional de Segurança Pública, José Vicente Filho, lembra que na Rocinha, a instalação de uma unidade de Polícia Pacificadora (UPP) é essencial, por possuir um “fator simbólico importante”, pois o local é um grande reduto eleitoral, razão pela qual, pelo menos até as próximas eleições, o governo não vai abrir mão de uma ocupação efetiva da Rocinha.

Por outro lado, a prisão de Antonio Francisco Bonfim Lopes, o “Nem”, que comandava o comércio de drogas na maior favela do Rio de Janeiro, a Rocinha, deve levar o tráfico no Estado a adotar um novo perfil, afirma o coronel da reserva. Ele aposta numa atuação mais discreta dos criminosos e considera a possibilidade de união entre facções rivais.

Segundo José Vicente Filho, “vai haver uma adaptação do trabalho do tráfico. Toda vez em que se mexe, incomoda, provoca-se essas adaptações, você acaba reduzindo a quantidade de drogas, criando dificuldade. Isso já vinha sendo detectado desde a entrada no Complexo do Alemão, que era outro grande centro de distribuição. O tráfico vai adotar um outro perfil, menos violento e mais discreto, sem a exibição de armas ou controle extremamente rígido dos territórios”.

Entretanto, não se descarta a hipótese de esses grupos rivais se concentrarem num esforço cooperativo, ao invés da rivalidade brutal que existe hoje, explica José Vicente, “porque a Rocinha é o principal centro distribuição de drogas hoje, no Brasil. Movimenta mais de R$ 1 milhão por semana. E estava intocado. O que se pode perceber é que, com a prisão do Nem, isto vai ser enfraquecido”.

José Vicente adverte que “você não acaba com uma facção tirando a liderança. Mas ela é importante não só porque agrega pessoas, mantém a disciplina do principal contingente de traficantes. As fontes de suprimento de drogas, armas e outros participantes do esquema acabam abaladas quando se mexe com uma liderança como essa”.


TRIBUNA DA INTERNET

Cidinha Campos ataca novamente!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Tem caroço nesse angú: Polícia Civil negociava rendição de Nem há dez dias

Em entrevista coletiva realizada na tarde desta sexta-feira, o sub-chefe operacional da Polícia Civil, delegado Fernando Velloso, revelou que a rendição do traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, era negociada há pelo menos dez dias. De acordo com Veloso, horas antes de Nem ter sido preso, o advogado do criminoso informou que ele iria se entregar na 15ª DP (Gávea). Apontado como chefe do tráfico na Favela da Rocinha, Nem foi preso pela Polícia Militar na madrugada de quinta (10), na Gávea, Zona Sul do Rio, enquanto tentava fugir no porta-malas de um carro.

De acordo com policiais militares do Batalhão de Choque que prenderam Nem, alegando que negociavam com os advogados do traficante uma possível rendição, os policiais civis tentaram evitar que o traficante fosse levado para sede da Polícia Federal.
Velloso acrescentou que as negociações para a rendição começaram quando um policial o procurou dizendo que o advogado de Nem havia feito contato, afirmando que o traficante pretendia se entregar. A continuidade da negociação teria sido, então, autorizada. Contudo, o delegado destacou que apenas garantiria a Nem o que é previsto em lei: sua integridade física. "Ele é um arquivo vivo de informações. Nos interessava saber o que ele tinha para falar", disse o subchefe.

Os acertos para a rendição tiveram prosseguimento. Na quarta-feira, horas antes da prisão, o advogado telefonou avisando que Nem se entregaria na 15ª DP (Gávea). Os três policiais civis foram então autorizados por um delegado a realizar a operação.

“Venho a público esclarecer que os policiais civis estavam em uma missão legítima e legal, que foi autorizada por mim”, ressaltou Velloso. De acordo com o delegado, foi determinado por ele que a Corregedoria da Polícia Civil (Coinpol) e a Coordenadoria de Recursos Especiais(Core) acompanhassem a possível rendição de Nem.

JORNAL DO BRASIL

Royalties imagens exclusivas:briga entre estudantes contrários ao governo de Sérgio Cabral e seguranças

Nas imagens exclusivas do Tv News é possível ver o ínico da briga entre estudantes contrários ao governo de Sérgio Cabral e seguranças que vinham abrindo espaço para um trio elétrico passar. Alguns manifestantes deitaram no chão para impedir que o trio elétrico passasse, um deles foi pisoteado. Um dos seguranças agride um estudante, após isso uma grande pancadaria começa. A polícia foi chamada e ameçou jogar spray de pimenta contra os jovens, que acabaram indo embora.

Funcionária do Afroreggae é encontrada morta na Baixada Fluminense


Desaparecida há um dia, a funcionária do grupo AfroReggae, Tânia Cristina Moreira, foi encontrada morta na tarde desta sexta-feira em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A informação foi confirmada pela assessoria do grupo de Vigário Geral, no subúrbio do Rio.

Ainda segundo a assessoria, o corpo foi encontrado em um terreno baldio e está no Instituto Médico Legal (IML) da cidade. Quem também se manifestou sobre o caso foi o líder do Afroreggae, José Júnior. Ele disse, por twitter, que havia visto o corpo de Tânia.

A 38ª DP (Irajá) e a Delegacia Anti-Sequestro (DAS) investigam o caso.

O sequestro

A funcionária estava em casa, no bairro de Vigário Geral, quando três homens armados teriam entrado no local e a capturado. Eles teriam fugido em um carro.

Blog do Sidney Rezende

PM caça 'bando do Nem' em São Gonçalo

A prisão de Antônio Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, traficante mais procurado do Estado, não alterou as ações de policiais do 7º BPM (São Gonçalo) no cerco a fugitivos da favela carioca para São Gonçalo. Na quinta-feira(10), PMs da unidade realizaram operações em diversas comunidades controladas pela facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA).
Pela manhã, os militares intensificaram as ações no Morro da Chumbada, no Mutondo, onde, moradores denunciaram a chegada de criminosos da Rocinha desde a última segunda-feira.

De acordo com as denúncias, os bandidos circulam com fuzis pela favela e determinam toque de recolher aos moradores. Um traficante, identificado como Gringo, dita as ordens. Os bandidos estão abrigados em casa abandonadas e invadidas pelo tráfico.
PM nega - A presença dos traficantes da Rocinha na Chumbada, no entanto, não foi confirmada pelo comandante do 7º BPM, coronel Djalma Beltrami, que determinou novas ações em, pelo menos, cinco comunidades ligadas à ADA em São Gonçalo.

“Estamos patrulhando ostensivamente todas as comunidades que pertencem a essa facção criminosa. Nosso Serviço de Inteligência trabalha em cima de todas as denúncias. A nosso favor, temos parceiros nas comunidades. Alguns moradores nos alertam a qualquer sinal de perigo”, explicou Beltrami.

Foram realizadas operações no Menino de Deus, Galo Branco, Pereirinha, no Barro Vermelho e Alma, no Jóckey. Nestas operações, não foram registradas prisões ou apreensões de armas ou drogas.

Trailer - Os acessos a São Gonçalo também receberam reforço de policiamento. Um trailler intinerante do batalhão foi instalado, ontem, às margens da BR-101, em Guaxindiba, para coibir a chegada do ‘bando do Nem’.
Qualquer informação que contribua com o trabalho da polícia pode ser repassada para aos telefones 2701- 2359 ou 2253-1177.
Jornal o São Gonçalo

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Nem da Rocinha é preso e oferece suborno para escapar da polícia

Um dos traficantes mais procurados do Rio, o Nem a Rocinha foi preso, no início da madrugada desta quinta-feira, por policiais do Batalhão de Choque. Nem foi capturado nas proximidades da Lagoa, quando trafegava em um carro com dois outros comparsas, segundo as primeiras informações liberadas pela Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro. CONTINUE LENDO NO CORREIO DO BRASIL

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

PÂNICO E TERROR NA GÁVEA: POLÍCIA TRANSPORTAVA TRAFICANTE





A Santos Dumont, na Gávea (Zona Sul do Rio) de pracinha bucólica que é, transformou-se numa zona de guerra, no fim da tarde desta quarta-feira (09/11), quando quatro carros com policiais à paisana tantavam interceptar um Honda Civic de placa 5036, em frente ao Jockey Club. O policial civil Fábio Andrade, delegado da DRE de Entorpecentes, recebeu uma informação de que um colega seu, também policial civil, estaria transportando dois traficantes da favela da Rocinha com drogas, munição etc. A informação foi confirmada quando dois carros da Polícia Civil conseguiram interceptá-los, e acabam de ser encontrados pistola, fuzil, maconha, carregador de arma e granada.

Os bandidos, inclusive o policial, foram jogados no asfalto, algemados e presos ali, diante de pedestres chocados. Sirenes soavam, o trânsito parou, algumas pessoas corriam, outras berravam, com muito, muito medo. Neste momento, helicópteros sobrevoam a área. A arquiteta Maria Paula de Vincenzi, por exemplo, parou seu carro e, trêmula, dizia: “Que medo de viver nesta cidade!”. E, na primeira oportunidade, saiu desesperada.

RIO PACIFICADO - Exército troca tiros com traficantes no Alemão e homem fica ferido na perna

O Exército trocou tiros na noite de terça-feira (8) com traficantes na Chatuba, no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio. Um homem levou um tiro na perna e foi levado para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha.

Na versão do Exército, um grupo de três traficantes armados, sendo um deles o homem ferido, atirou contra soldados que patrulhavam a região.

De acordo com o major Bouças, durante o tiroteio, ele teria sido atingido pelos próprios companheiros devido o tipo de munição que o atingiu.

O major informou que o Exército usa fuzil e o homem foi ferido por bala de pistola. Ainda segundo Bouças, foram os soldados que o levaram para o hospital.

Ninguém foi preso e nada foi apreendido.

CARLOS ODORICO LUPI




Lupi afirmou que só sairia da pasta “abatido a bala e tem que ser bala forte, porque
eu sou pesadão”.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Governo do Estado é alvo de críticas durante Audiência Pública em Caxias

O descaso do Governo do Estado com a segurança de Duque de Caxias foi uma das principais reivindicações da população durante a Audiência Pública realizada nesta segunda (07/11), no Plenário da Câmara de Duque de Caxias. A Audiência foi uma iniciativa do presidente da Casa, Dalmar Lírio Mazinho, atendendo pedidos dos moradores que, alarmados com o aumento da criminalidade, principalmente nos últimos meses, cobram um policiamento mais efetivo nas áreas que oferecem maior risco. Os cidadãos atribuem esse aumento a partir das instalações das Unidades Pacificadoras de Polícia (UPPs), no Rio de Janeiro.

“Estamos à mercê de bandidos e o governador Sérgio Cabral não toma uma atitude. Ele só pensa nas instalações das UPPs, enquanto Duque de Caxias fica esquecida. As estatísticas do aumento acelerado da violência estão aí. Mas, na época da campanha, ele aparece”, protestou Alcenir Gonçalves, morador de Duque de Caxias e presidente do Movimento Popular Pensar Caxias.

“Moro na rua do Medo, esquina da Morte, próximo à praça do Terror. É hora de mudança”, desabafou a diretora de Comunicação da Associação Jardim 25 de Agosto, Maria do Socorro da Silva.

Chefão do tráfico, Nem vai parar na UPA da Rocinha


Policiais civis da 15ª DP (Gávea) abriram investigações para apurar as causas do atendimento médico do traficante Antônio Bonfim Lopes, o "Nem", responsável pelas bocas de fumo da Favela da Rocinha, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Rocinha, na Zona Sul do Rio.

A informação que o traficante esteve na unidade na segunda-feira foi confirmada nesta manhã pelo delegado da 15ª DP (Gávea), Carlos Augusto Nogueira Pinto.
Apesar de não saberem o que motivou a ida do chefão do tráfico da maior favela do Rio a UPA, os agentes suspeitam que o traficante teria sido atingido por um tiro ou passado mal após uma overdose de ecstasy associado ao whisky.

A Secretaria municipal de Saúde disse que não tem informações do atendimento do traficante na unidade, mas garantiu que o funcionamento do local foi normal.
JORNAL DO BRASIL

Quatro escolas na Zona Oeste do Rio não funcionaram na manhã desta terça

Quatro escolas localizadas na Zona Oeste do Rio, próximas à Favela da Coreia, em Bangu, não funcionaram na manhã desta terça-feira. Segundo nota da assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Educação, “das 26 unidades de ensino localizadas na região, duas escolas, que atendem a 470 alunos no turno da manhã, não funcionaram nesta terça-feira, e uma não realizou atividades porque os pais preferiram não levar seus filhos.” Já a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Educação informou que uma escola fechou as portas : o Ciep 313 Rubem Braga, em Senador Camará.

Comandante do 14º BPM (Bangu) - unidade responsável pelo policiamento na área -, o tenente-coronel Alexandre Fontenelle informou que desconhece o motivo do fechamento das escolas. De acordo com ele, nesta terça não foram realizadas operações pelo batalhão.

EXTRA

domingo, 6 de novembro de 2011

QUEM VAI REEMBOLSAR? É O CONTRIBUINTE

Cinegrafista da Band é morto em operação policial na Zona Oeste

O cinegrafista da Rede Bandeirantes de Televisão, Gelson Domingos, morreu depois de ser atingido por um tiro de fuzil durante operação policial que envolveu cerca de cem homens do Batalhão de Operações Especiais e do Batalhão de Polícia de Choque , na manhã deste domingo, na Favela de Antares, em Santa Cruz .

Houve intenso tiroteio, onde o cinegrafista da Rede Bandeirantes que atuava na cobertura jornalística da operação policial foi baleado no peito. Ele foi encaminhado para a UPA 24 horas do Cesarão, também em Santa Cruz, mas não resistiu aos ferimentos.

O tiro que vai sair pela culatra

Beltrame coloca Setor de Inteligência para investigar Deputado Garotinho.

Um relatório reservado da Agência Central de Inteligência da polícia do Rio de Janeiro informa que no Estado há um grupo formado por políticos e delegados interessado em boicotar o projeto das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). No documento que contém o carimbo de “urgentíssimo” e recebe o número 463/11-0007/S12, os agentes da Central de Inteligência relatam que o principal objetivo do grupo seria desgastar publicamente a imagem do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, e provocar a exoneração de toda a cúpula da Secretaria de Segurança Pública para colocar nos cargos disponíveis pessoas que possam “vir a atender interesses escusos e particulares de seus membros”.
Segundo as investigações, o grupo força a divulgação de notícias negativas e chega a fabricar fatos para provocar um noticiário contra o secretário e seus principais auxiliares.

Para chegar às conclusões apresentadas no relatório preliminar, os agentes da Central de Inteligência acompanharam as investigações e a divulgação de diversos casos policiais e até processos judiciais. Um dos primeiros movimentos a des­pertar a atenção dos policiais foi a greve dos bombeiros de junho último. De acordo com as informações do serviço reservado da Polícia Militar, o movimento salarial foi apenas o pano de fundo para uma operação política liderada pelo cabo Daciolo, ligado ao ex-governador Garotinho, e que levou os bombeiros a uma mobilização contra o governo estadual. Na ocasião, a população manifestou apoio aos grevistas, mas o movimento perdeu credibilidade quando coordenou a distribuição de adesivos na zona sul do Rio com os dizeres “Fora Ca­bral”, numa alusão ao governador Sérgio Cabral.

Um dos processos judiciais analisados pela Central de Inteligência diz respeito ao salário de Beltrame. Mensalmente, ele recebe R$ 12,9 mil como secretário e mais R$ 24,4 mil como delegado da PF, o que soma um valor superior ao teto do funcionalismo fixado em R$ 26,7 mil.

E blá blá blá....

leia na íntegra AQUI

sábado, 5 de novembro de 2011

CABRAL QUER VENDER OS QUARTÉIS DA PM



Com ‘UPP do asfalto’, batalhão da Tijuca vai ganhar novo nome

A Polícia Militar vai ganhar nova cara a partir do próximo ano, com a criação da “UPP do asfalto”. O projeto não vai mudar apenas a filosofia da PM, que busca uma aproximação maior com a população. Os batalhões também devem ganhar novos nomes. Com a demolição do 6º BPM (Tijuca) e a construção de uma nova sede no mesmo local, a Polícia Militar tijucana vai se tornar o 1º Batalhão de Polícia de Proximidade (BPP).

A participação do tenente-coronel Márcio Oliveira Rocha, comandante do 6º BPM, será fundamental na transição — ele atuou como coordenador operacional das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), que vai servir de modelo para a mudança na corporação. O projeto piloto no batalhão foi anunciado pelo EXTRA na edição de 29 de outubro.

Duas reuniões entre a PM e a Empresa de Obras Públicas do Estado (Emop) serviram para definir os detalhes do novo projeto, que inclui a demolição do Quartel-General da PM e a criação de um prédio administrativo da corporação, que deve ser construído num terreno na Praça Tiradentes.

— O novo Quartel-General da PM vai ser verticalizado — explicou o presidente da Emop, Ícaro Moreno.

Duas companhias destacadas na Tijuca

O 1º BPP terá duas companhias destacadas, para que haja integração maior com os moradores da Zona Norte do Rio. A ideia é desmembrar os grandes quartéis, com centenas de policiais, e fazer com que os batalhões possuam uma estrutura parecida com as UPPs. O projeto prevê uma integração entre a PM do asfalto e as UPPs do Andaraí, Borel, Formiga, Macacos, Salgueiro e Turano, na área do batalhão.

O plano será colocado em prática no começo do próximo ano, com o deslocamento de policiais para pontos turísticos no Parque da Tijuca e no Mirante das Paineiras.

QG pode ser vendido

Depois disso, a PM dará sequência à construção das companhias destacadas. Uma delas ficará na Tijuca. A outra, no Grajaú, onde a corporação planeja colocar policiais a cavalo.

Mas os terrenos ainda não foram definidos pela PM, que terá novas reuniões com a Emop na próxima semana. As mudanças também incluem o QG da Polícia Militar, que pode ser negociado com a Petrobras.

Assim como nas UPPs, os novos batalhões também terão uma contrapartida social. Uma das possibilidades, que pode ser aplicada na Tijuca, é organizar um campeonato de futebol com times de moradores dos bairros e das comunidades pacificadas, que chegaram a abrigar facções criminosas rivais. Os policiais das UPPs e do batalhão também participariam da iniciativa.

Experiência também no Méier

O projeto piloto será colocado em prática na Tijuca. Mas o 3º BPM (Méier) já toma medidas que farão parte do novo modelo dos batalhões. Lá, um antigo clube na Rua Engenheiro Oscar da Costa, no Engenho de Dentro, servirá como sede para a 4ª Companhia destacada, que contará com cerca de cem policiais militares.

A unidade, na mesma área de atuação da 26ª DP (Todos os Santos), vai facilitar um trabalho em conjunto com a Polícia Civil. A inauguração deve ocorrer nos primeiros meses do próximo ano, de acordo com o tenente-coronel Ivanir Linhares Fernandes Filho, comandante do 3º BPM.

— A ideia é fazer um policiamento destacado, com melhores condições de acesso naquela área — explicou.

Favorável às mudanças previstas na corporação, o tenente-coronel Linhares acredita que as companhias destacadas vão aproximar a PM da população.

— Às vezes, os comandantes ficam encastelados nos batalhões e a população não se aproxima. Com as companhias destacadas, o contato é mais direto.

Rio Pacificado - Bandidos atacam policiais da UPP da Mangueira

Pouco mais de 24 horas depois da inauguração da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no morros da Mangueira e do Tuituí, um ataque de bandidos a uma patrulha da Polícia Militar na Rua São Luís Gonzaga, em São Cristóvão, terminou com perseguição, troca de tiros, um preso e um policial ferido sem gravidade.

De acordo com policiais, seis homens armados roubaram um Corolla preto em Vila Isabel, na madrugada deste sábado. Quando passavam pelas imediações do Morro do Tuiutí, efetuaram disparos contra uma patrulha da nova UPP. Houve perseguição, que terminou em um beco sem saída na altura do número 777 da Rua São Luís Gonzaga. O veículo teve dois pneus furados e foi atingido com cinco tiros.

Valdênio Godinho da Silva, de 20 anos, estava no carona do carro e seria da Favela Parque Arará, em Benfica. Ele foi ferido na perna esquerda e levado para o hospital. Um soldado da UPP Mangueira foi atingido por estilhaços, mas passa bem.

O Globo

Parentes de PM são sequestrados e torturados em Niterói

Após terem ido a um baile funk, no Morro do Viradouro, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, o irmão e o cunhado de um policial foram reconhecidos por traficantes que também estavam no local e foram vítimas de sequestro seguido de tortura. Os dois teriam sido agredidos, baleados e enterrados vivos. Um deles morreu no local e o outro conseguiu fugir.

O cunhado do PM do 12º BPM (Niterói) não resistiu a tortura e acabou morrendo na localidade, já o irmão do policial conseguiu escapar apesar de ter levado dois tiros no peito.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Professor do Colégio Pedro II pede a morte de Lula, Dilma e outros políticos

Ele ainda pediu a morte de outras figuras, do ministro da Educação Fernando Haddad, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes.
Um das escolas mais tradicionais do Brasil está com uma situação delicada em mãos. Um professor do Colégio Pedro II, fundado pelo imperador que lhe empresta o nome, atacou publicamente na internet o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Qualquer crítica é bem-vinda, mas o educador foi mais longe: ele pediu a morte de Lula e disse que o político herdou a doença de Dilma por tê-la ajudado nas eleições. Na mesma publicação, ele ainda pediu a morte de outras figuras, como a própria Dilma, o ministro da Educação Fernando Haddad, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes.

Ladeira abaixo

Repreendido por alunos do colégio, o professor de física Márcio Nasser Medina argumentou dizendo que tinha o direito de falar o que bem entendesse e manifestar o desejo de ver qualquer um morto. Entre os comentários veiculados no perfil do educador, algumas pessoas lembravam que ele era um servidor federal, ou seja, estava falando mal dos seus chefes. Outras pessoas atentavam que o discurso de ódio podem se enquadrar no Artigo 286 do Código Penal.

Patrícia Acioli: julgamento foi marcado para este mês

O juiz-presidente do Tribunal do Júri de Niterói, Peterson Barroso Simão, convidou a OAB Niterói para participar das audiências de instrução e do julgamento

O julgamento dos 11 policiais acusados do assassinato da juíza Patrícia Acioli já tem data. Está marcado para os dias 9, 10, 16, 17 e 18.

O juiz-presidente do Tribunal do Júri de Niterói, Peterson Barroso Simão, convidou a OAB Niterói para participar das audiências de instrução e do julgamento. Quem acompanhará pela entidade será o criminalista Ennio Figueiredo, presidente da Comissão do Movimento Brasileiro contra a Violência.

JORNAL O FLUMINENSE

Rio Pacificado - Traficantes atacam UPP de Santa Teresa

SE FOI PACIFICADO, COMO AINDA TEM TRAFICANTES NO LOCAL?
"Entendemos que houve prejuízo aos traficantes do local e, por isso, houve a reação, mas não vamos nos intimidar", declarou Seabra.

A Polícia Militar do Rio identificou como Fábio Fernandes, de 29 anos, e Rafael da Cunha Eliezer, de 18, os dois homens presos no fim da noite desta quinta-feira após ataque à UPP - Unidade de Polícia Pacificadora - dos morros da Coroa, do Fallet e do Fogueteiro, no bairro de Santa Teresa, nas proximidades do Centro da cidade.

Segundo a polícia, os dois homens foram surpreendidos pelos soldados com um carregamento de drogas em uma moto a cerca de 300 metros da base da UPP, no Morro do Fallet. Com eles, foram apreendidos 184 papelotes de cocaína, 111 trouxinhas de maconha, sete sacos de ecstasy e 142 pedras de crack. Logo após a prisão da dupla, traficantes começaram a atirar de uma laje contra a base da UPP, onde estavam seis PMs.

Os policiais revidaram o ataque e a troca de tiros durou pelo menos dez minutos. Ainda de acordo com a polícia, os bandidos teriam utilizado fuzis de calibre 762 e pistolas durante o ataque. Ninguém ficou ferido, informou o coordenador de Polícia Pacificadora, coronel Rogério Seabra.

"Entendemos que houve prejuízo aos traficantes do local e, por isso, houve a reação, mas não vamos nos intimidar", declarou Seabra.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

O Cartório no Centro de Barra do Piraí é assaltado


O Cartório do 1º Ofício, situado no Centro de Barra do Piraí, foi assaltado na tarde de ontem (1) por dois homens armados. Os suspeitos levaram dinheiro e objetos pessoais dos funcionários, além de processos.
Segundo informações registradas, os dois homens entraram no prédio e renderam os funcionários, que foram trancados em uma sala nos fundos do cartório. Eles roubaram pertences, como jóias, relógios e celulares, além dos salários das vítimas, que teria sido pago ontem. Os suspeitos ainda levaram alguns processos que estavam no local e fugiram em seguida.
Uma pessoa que teria entrado logo após a saída dos assaltantes, abriu a porta da sala e acionou a polícia. Policias fizeram buscas nas proximidades, mas ninguém foi preso. Segundo a polícia, já foram apontados alguns suspeitos, que estão sendo investigados.

“Lula, faça o tratamento pelo SUS"

Campanha para que Lula se trate no SUS ultrapassa 123 mil compartilhamentos no Facebook
Após diagnóstico de câncer na laringe do ex-presidente, corrente foi lançada em forma de protesto contra a má administração do sistema público de saúde.

Na manhã do último sábado (29 de outubro), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve diagnosticado um câncer na laringe. Nesse mesmo dia, o usuário Anderson Moreira lançou uma campanha chamada “Lula, faça o tratamento pelo SUS!” na maior rede social do planeta, o Facebook.

O que o jovem não sabia era a amplitude que sua ação iria ganhar. Dois dias depois, a corrente para que o político tratasse sua doença pelo Sistema Único de Saúde já havia sido compartilhada por mais de 123 mil pessoas.

A grande maioria dos internautas disseminou a publicação sem fazer comentários. Contudo, outra parte daqueles que compartilharam a mensagem aproveitou para explicitar sua opinião, deixando bem claro que a campanha foi encarada como uma forma irônica de protesto contra a má administração da saúde no Brasil.