er

er

segunda-feira, 21 de março de 2011

Máfia das multas e lombadas eletrônicas fatura R$ 2 bi por ano

É FANTÁSTICO - A GLOBO NOTICIOU A MÁFIA DOS PARDAIS EM QUASE TODO BRASIL, PORQUE O RIO FICOU DE FORA?
NÃO TEM PARDAIS NO RIO, EM TUDO QUANTO É LUGAR, UM EM CIMA DO OUTRO, COM VELOCIDADES DIFERENTES? MAS UMA ARMADILHA!
NÃO EXISTE UM GALPÃO NA RODOVIA WASHINGTON LUÍS EM CAXIAS? NA FACHADA ESTÁ NÃO ESCRITO QUE EM 90 DIAS SEU CARRO SERÁ LEILOADO PELO DONO DO GALPÃO? QUEM AUTORIZA VENDER BENS ALHEIOS? QUAL O PLANO?QUE LIGAÇÃO TEM O PREFEITO, COM O LEILOEIRO, QUE NOSSOS CARROS TEM A VER COM ELES, QUAL O PAPEL DO DETRO NISTO? NÃO EXISTE SERVIÇO PÚBLICO SEM LEGISLAÇÃO VIGENTE: C.F. CADÊ A LEGALIDADE?

video

Leia: Um retrato escandaloso de como funciona a indústria das multas no Brasil. Uma indústria que fatura R$ 2 bilhões por ano.


Leia:
O juiz Luís Felipe Paim Fernandes, da 5ª Vara Criminal de Porto Alegre, decretou a prisão de Paulo Aguiar, servidor do governo do Rio Grande do Sul suspeito de envolvimento com fraude para instalar e operar radares.

Um comentário:

  1. A menina Maria Clara Silva Martins, de 1 ano e 9 meses, morreu nesta última segunda-feira (21), vítima de dengue hemorrágica no Rio de Janeiro. A criança foi internada no domingo (20) na UTI pediátrica do hospital particular Cemeru, em Santa Cruz, na Zona Oeste da cidade. De acordo com a mãe, Maria das Graças Silva Martins, de 45 anos, o diagnóstico inicial foi dor de garganta. A família acredita em erro médico.

    A família da menina mora em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. No bairro Grão Pará, mais de dez casos de dengue hemorrágica já foram registrados. Segundo a tia da menina, a criança foi levada pela primeira vez ao hospital na quinta-feira (17), e medicamentos para dor de garganta foram receitados. Ainda de acordo com a tia, a menina chegou a ter convulsões.

    Segundo a administração do hospital, a morte da criança por dengue hemorrágica está confirmada, mas descarta erro médico.

    ResponderExcluir