er

er

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Carta aberta dos Bombeiros à população do Rio de Janeiro

Os Bombeiros do Rio de Janeiro, profissionais trabalhadores, ordeiros e competentes, em respeito à população que sempre defenderam, por vezes com o sacrifício da própria vida, vem a público esclarecer o que tem ocorrido na Corporação e no governo do Estado e o que levou companheiros e seus familiares a desafiarem os desmandos do comandante geral, cel. Pedro Marco, e do governador Sérgio Cabral.

Como sabemos, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro é uma corporação voltada para a preservação de vidas e proteção de bens da população do Estado do Rio de Janeiro.

Ao longo da sua existência, o CBMERJ sempre se pautou pela hierarquia e disciplina e também pela credibilidade de seus serviços, estando ao lado da população Fluminense em todas as suas aflições e enfrentando com bravura as calamidades naturais que atingem o Estado. São inúmeras as vidas salvas e os bens preservados pelos profissionais do Corpo de Bombeiros, que a população chama carinhosamente de Heróis. Ao nos formarmos, juramos defender a população com o sacrifício da nossa própria vida e assim temos feito ao longo desses 155 anos de existência.

A Corporação recolhe cadáveres, combate os mosquitos da dengue, atua nas UPAs, guarnece o sambódromo no carnaval e atua no Rock in Rio (sem remuneração extra, embora o evento seja cobrado ao público), além de exercer as suas funções de salvamentos e combate à incêndio, recebendo um dos PIORES SALÁRIOS pagos pela categoria no Brasil.

O reequipamento da Corporação não é mérito do Governador, mas sim da população do Estado do Rio de Janeiro que paga a taxa de incêndio e que, ainda assim, não sabe que os recursos não são totalmente destinados à Corporação.

A ira do sr. Sérgio Cabral com os Bombeiros vem de 2009, quando foi vaiado pela Corporação durante o lançamento da Campanha “Cultura Antidengue” no ginásio do Maracanãzinho, e desde então tem discriminado os Bombeiros militares, sejam nas gratificações (usando seu poder de discricionariedade) seja nas condições de trabalho (vocês viram alguma homenagem aos heróis que morreram na calamidade da Região Serrana?)

Agora, a população do Estado do Rio de Janeiro assiste a sua Corporação de heróis ser aviltada e achincalhada pelas atitudes ditatoriais do governador Sérgio Cabral, que culminou com os manifestantes adentrando o Quartel Central da Corporação, no ultimo dia 3, para serem ouvidos pelo seu Comandante Geral, que omisso, serviu de “pau mandado” do governador

Sérgio Cabral e ignorou os clamores de sua Tropa, nem comparecendo ao local. O governador, adotando os melhores recursos da DITADURA, mandou o BOPE invadir com tiros e bombas o Quartel Central do Corpo de Bombeiros, ferindo militares honestos, mulheres e crianças indefesas.

Atitude inadmissível em um Estado democrático de Direito! Por que o comandante geral do CBMERJ, cel, Pedro Marco, não tomou as medidas necessárias para a retirada de seus militares do pátio do Quartel Central? Estavam todos desarmados e com seus familiares. Não era necessário o uso da força e sim do diálogo. Os Bombeiros são pacíficos por natureza.

O governador nunca gostou da Corporação. Nomeou para Secretário o ex-médico do CBMERJ Sérgio Côrtes, um homem que deixou a Corporação por não concordar com os baixos salários e a carga de trabalho excessiva e agora nada faz para ajudar a Corporação, apenas integra os desmandos administrativos e superfaturados do governo do Estado na área da saúde.

Assistimos perplexos ao comandante geral da PMERJ usurpar o Comando do CBMERJ e se dirigir, dentro do quartel dos Bombeiros, à tropa de profissionais honestos como se bandidos fossem.

Nossos militares foram presos e conduzidos aos quartéis da PMERJ como criminosos apenas por reivindicar dignidade profissional!

Se nossos companheiros erraram ao ADENTRAR a SUA SEGUNDA MORADA, o governador foi CRIMINOSO e DITATORIAL ao ordenar a invasão do Quartel Central dos Bombeiros pelo BOPE com uso de FORÇA, TIROS E BOMBAS, como se ali fosse uma antro de criminosos e não de profissionais que arriscam a sua vida pela população, CAUSANDO FERIMENTOS EM MULHERES E CRIANÇAS e obrigando a nossos companheiros ao confronto.

Ajudem aqueles que sempre os socorreram! Nunca deixamos de atender e socorrer a população! Mostrem a sua indignação por esse ato violento e ditatorial do governador Sergio Cabral! Mostrem o seu apoio aos bombeiros! Enviem essa carta para todos os seus amigos. Acompanhem e apoiem o nosso movimento pelo site sosguardavidas.com

***
SALÁRIOS BRUTOS NO BRASIL

1º) Brasília – R$ 4.129; 2º) Sergipe – R$ 3.012; 3º) Goiás ? R$ 2.722; 4º) Mato Grosso do Sul – R$ 2.176; 5º) São Paulo – R$ 2.170; 6º) Paraná – R$ 2.128; 7º) – Amapá – R$ 2.070; 8º) Minas Gerais – R$ 2.041; 9º) – Maranhão – R$ 2.037;10º) Bahia – R$ 1.927; 11º) Alagoas – R$ 1.818; 12º) Rio Grande do Norte; R$ 1.815;13º) Espírito Santo – R$ 1.801;14º) Mato Grosso – R$ 1.779; 15º) Santa Catarina – R$ 1.600; 16º) Tocantins – R$ 1.572; 17º) Amazonas – R$ 1.546; 18º) Ceará – R$ 1.529;19º) Roraima – R$ 1.526; 20º) Piauí – R$ 1.372; 21º) Pernambuco – R$ 1.331; 22º) Acre – R$ 1.299; 23º) Paraíba – R$ 1.297; 24º) Rondônia – R$ 1.251; 25º) Pará – R$ 1.215; 26º) Rio Grande do Sul – R$ 1.172; 27º) Rio de Janeiro – R$ 1.031 (sem vale-transporte)

O Rio de Janeiro é o Estado que mais recebe investimentos no Brasil, é o segundo que mais arrecada impostos. Pretende sediar o Rock in Rio, as Olimpíadas Militares, a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016. Há algo de errado e podre no Governo do exmo. sr. governador Sérgio Cabral Filho.

TRIBUNADAIMPRENSA

4 comentários:

  1. HAVIA UMA ENORME DESCONFIANÇA DE HAVIA UM INCENDIÁRIO NESTE GOVERNO, AONDE TUDO QUE O INCRIMINA, OU O O ATRAPALHA PEGA FOGO, FOI ASSIM: NO HOSPITAL PEDRO II, NO SAARA, NO CEASA, NO DEPÓSITO DA POLÍCIA CIVIL, NA CIDADE DO SAMBA, NO IASERJ E ETC...
    ACHO QUE VÃO COLOCAR FOGO NO MINISTÉRIO PÚBLICO, NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, NO TRIBUNAL DE CONTAS E NA ALERJ, ATÉ PORQUE TEM GENTE DELES LÁ.
    O MAL ESTÁ EM TODOS OS LUGARES, POR ISSO QUEREM ACABAR COM OS BOMBEIROS, PARA NÃO APAGAREM O FOGO E EVITAR A DESTRUIÇÃO.
    QUEM ESTÁ COBRANDO AGORA É DEUS, PODEM COMPRAR A TODOS, POLÍCIAIS, BANDIDOS, POLÍTICOS, JUÍZES,CORONÉIS GENERAIS, ATÉ O PRESIDÊNTE, MAIS É A DEUS QUE TERÃO QUE PRESTAR CONTAS.

    ResponderExcluir
  2. Por que o ato dos bombeiros cria um precedente perigoso

    Os bombeiros assim como qualquer categoria têm o direito de pedir melhoria salarial, ocorre que por servirem junto com a PM, sob regime militar, lhes é vetado o direto à greve. Nos últimos dias o que tenho visto no Rio é um circo. Uma categoria que vem sendo “doutrinada” por políticos faz meses, chega ao ponto de rasgar sua lei militar, invadir um quartel, ocupar e inutilizar viaturas.
    Ora, isso é inadmissível em um estado de direito. Imaginemos se médicos decidem fazer greve, invadir hospitais, furar pneu das ambulâncias e trancar as portas; E se um dia policiais em greve ocuparem os presídios e ameaçarem soltar os presos? Não obstante, teríamos ainda a possibilidade de Soldados do exército em greve, colocarem tanques para obstruir vias. Pergunto: Onde a sociedade vai parar? É esse o precedente que a sociedade deseja abrir com os bombeiros?
    Para que não corramos esse risco há uma legislação militar que rege as FFA, Bombeiros e a PM. Independente de qualquer pleito salarial, ela tem de ser respeitada. No momento em que a sociedade permitir que essa lei seja ignorada, estará pondo em risco sua própria ordem.

    ResponderExcluir
  3. Por que o ato dos bombeiros cria um precedente perigoso

    Os bombeiros assim como qualquer categoria têm o direito de pedir melhoria salarial, ocorre que por servirem junto com a PM, sob regime militar, lhes é vetado o direto à greve. Nos últimos dias o que tenho visto no Rio é um circo. Uma categoria que vem sendo “doutrinada” por políticos faz meses, chega ao ponto de rasgar sua lei militar, invadir um quartel, ocupar e inutilizar viaturas.
    Ora, isso é inadmissível em um estado de direito. Imaginemos se médicos decidem fazer greve, invadir hospitais, furar pneu das ambulâncias e trancar as portas; E se um dia policiais em greve ocuparem os presídios e ameaçarem soltar os presos? Não obstante, teríamos ainda a possibilidade de Soldados do exército em greve, colocarem tanques para obstruir vias. Pergunto: Onde a sociedade vai parar? É esse o precedente que a sociedade deseja abrir com os bombeiros?
    Para que não corramos esse risco há uma legislação militar que rege as FFA, Bombeiros e a PM. Independente de qualquer pleito salarial, ela tem de ser respeitada. No momento em que a sociedade permitir que essa lei seja ignorada, estará pondo em risco sua própria ordem.

    ResponderExcluir
  4. Carlos, ninguém tá mais afim de ver policial e bombeiro morrerem "de bobeira", o povo sem saúde e sem educação de qualidade.

    O direito de greve é previsto na Carta Maior, ou melhor CRFB/88.
    O regulamento administrativo e penal militar pertence a uma "Carta Menor", portanto submissa à anterior.

    Essa ORDEM a qual você se refere, deveria significar ORGANIZAÇÃO, e não REPRESSÃO. Ela deve emanar-se NATURALMENTE do povo, não ser forçado a isso.

    Antes de serem trabalhadores, são PESSOAS. E PESSOAS com muita paciência, mas ela meu caro, tem LIMITE.

    E olha que nem estamos na Grécia!

    Abraços a todos!

    ResponderExcluir